Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 04 de setembro de 2020.
Notícia da edição impressa de 04/09/2020.
Alterada em 04/09 às 03h00min

A caminho da sexta geração

De olho na perpetuidade do negócio, uma das empresas mais antigas do Brasil, a Hering, de Blumenau, com 140 anos, dirigida por Fábio Hering, 61 anos, da quinta geração da família, já prepara a sucessão na pessoa de seu filho Thiago para ser o próximo CEO. A indicação é do Conselho de Administração em que a família, embora continue sendo a maior acionista com 25% do capital (aberto) da companhia, tem apenas dois integrantes. Pois, Fábio, que lidera mais de 5 mil colaboradores diretos, foi o convidado da reunião semanal do Nexo Governança Corporativa de Novo Hamburgo, entidade formada por representantes de famílias empresárias.
De olho na perpetuidade do negócio, uma das empresas mais antigas do Brasil, a Hering, de Blumenau, com 140 anos, dirigida por Fábio Hering, 61 anos, da quinta geração da família, já prepara a sucessão na pessoa de seu filho Thiago para ser o próximo CEO. A indicação é do Conselho de Administração em que a família, embora continue sendo a maior acionista com 25% do capital (aberto) da companhia, tem apenas dois integrantes. Pois, Fábio, que lidera mais de 5 mil colaboradores diretos, foi o convidado da reunião semanal do Nexo Governança Corporativa de Novo Hamburgo, entidade formada por representantes de famílias empresárias.
Inovar e digitalizar
E quais são os principais ensinamentos transmitidos por Fábio na reunião do Nexo? "Inovar e digitalizar não é uma escolha. E não funciona se a empresa criar um núcleo de inovação, que não esteja totalmente integrado. A transformação é cultural e todos precisam estar engajados", recomendou do alto de sua experiência.
O maior atacadista
A UnidaSul foi agraciada com o prêmio de Maior Atacadista e Distribuidor do RS pela Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (ABAD). Segundo o presidente Augusto de Cesaro, o braço atacadista da holding vem ganhando força, com o reforço do Macromix Atacado e Mr. Estoque (atacadista de venda on-line), ambos com venda para pessoa física também.
Um calçado antiviral
Calçados Bibi, de Parobé, acaba de lançar no mercado duas cores exclusivas de meia do tênis 2way com ação antiviral e antibacteriana, que deixa a sujeira, as bactérias e os vírus do lado de fora de casa com o solado. Os pequenos entram só com a meia knit e pés limpinhos. Para isso a Bibi desenvolveu em parceria com outras duas empresas o 2way Antiviral que auxilia na proteção das crianças contra o coronavírus. O tênis tem numeração do 23 ao 34 nas cores azul e pink.
Produção de calçados cai 36,3%
Fortemente impactada pela pandemia do novo coronavírus, especialmente no mercado doméstico, que responde por mais de 85% das vendas, a indústria calçadista brasileira viu a produção despencar 36,3% no País entre janeiro e julho deste ano, no comparativo com igual período do ano passado. O índice negativo reflete a queda de 44,5% no varejo de calçados no primeiro semestre, segundo a Abicalçados. Sem novos pedidos, o emprego na atividade também foi afetado. Até julho, o setor somou a perda de mais de 42 mil postos, ou quase 19% de sua força de trabalho total. Por outro lado, a Abicalçados ressalta que existe um processo de recuperação gradual, que deve arrefecer a queda nos últimos meses de 2020. Para o ano todo, a entidade projeta uma queda de 29% na produção de calçados.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Affonso Ritter
Affonso Ritter
Informações sobre negócios corporativos, novas operações e investimentos realizados no Rio Grande do Sul estão na coluna Observador. Jornalista econômico há décadas, Affonso Ritter apresenta, diariamente, notícias e a agenda do ambiente empresarial gaúcho.