Porto Alegre, sábado, 15 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
sábado, 15 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Minuto Varejo

- Publicada em 13/01/2022 às 18h46min.

Comitiva gaúcha busca respostas no palco do varejo mundial

Zortéa montou roteiro de visitas técnicas por lojas que são hoje referência em inovação

Zortéa montou roteiro de visitas técnicas por lojas que são hoje referência em inovação


FABIANO ZORTÉA/ARQUIVO PESSOAL/JC
Patrícia Comunello
O palco da pandemia é Nova York e não só pela disseminação da variante Ômicron. A partir desta sexta-feira (14), a coluna Minuto Varejo acompanha uma comitiva gaúcha com especialistas, empresas e dirigentes do varejo gaúcho que vai emergir nos impactos da crise sanitária no consumo, mudanças que enviam sinais para o segmento no Brasil e inspirações que a maior feira de varejo do mundo trará.
O palco da pandemia é Nova York e não só pela disseminação da variante Ômicron. A partir desta sexta-feira (14), a coluna Minuto Varejo acompanha uma comitiva gaúcha com especialistas, empresas e dirigentes do varejo gaúcho que vai emergir nos impactos da crise sanitária no consumo, mudanças que enviam sinais para o segmento no Brasil e inspirações que a maior feira de varejo do mundo trará.
A NRF Big Show, promovida pela Federação Nacional do Varejo norte-americano (NRF), que este ano retoma o presencial, após a edição de 2021 ter sido virtual, será um dos momentos mais efervescentes. Serão três dias, de domingo (16) a terça-feira (18), e mais de 22 mil varejistas, expositores e conferencistas no Centro de Eventos Jacobs Javits, no lado oeste de Manhattan.
A edição segue protocolos sanitários bem rigorosos, com alertas incisivos sobre os cuidados. O portal do evento no https://nrfbigshow.nrf.com/, os alertas sobre protocolos dominam todas as áreas de conteúdos.  Até porque a cidade sede vive elevação exponencial de casos de Covid, além de pressão pro atendimento em hospitais.
E o que vai marcar está NRF BIg Show? Em edições desde 2015, o futuro da loja física e uso de tecnologias no conceito de omnichannel pautaram cases e cenários traçados por gurus e varejos inovadores.
“Vemos ambiente de vendas diferente dentro de uma Nova Iorque mais silenciosa e ponderada (efeito da pandemia), mas que continua sendo um grande laboratório de varejo”, antecipa o especialista do Sebrae-RS que coordena um grupo de empreendedores que chega nesta sexta-feira à cidade, Fabiano Zortéa. Em conversa com a coluna, Zortéa adiantou a agenda de visitas técnicas que já foi definida. Ele chegou na segunda-feira (10) a Nova Iorque para fechar o roteiro.
“Temos exemplos que surpreenderam em 2021, como Starbucks, Puma, Google e Harry Potter que trazem uma forma de oferecer um varejo conectado com o futuro e ponderado pelas restrições do presente”, conceitua Zortéa. A boa notícia é que a comitiva vai conhecer todos estes locais. Nesta sexta-feira, serão quatro, entre eles a loja do Harry Potter e Starbucks (veja a agenda completa nesta página).
Dilemas que norteiam o setor no Rio Grande do Sul também estão nas ruas da cidade, mas que sofre com restrições. O efeito disso, diz o especialista do Sebrae, é que as medidas de segurança precisam Estar em todo lugar. “O varejo precisa ajustar estratégias de venda para que a experiência física seja mais objetiva.” Por isso, ambientes que no passado apostaram em experiência presencial e toque, com uso de tecnologias, estão tendo de se adaptar.
Quem manteve área de customização e interacao é porque tem baixo fluxo de pessoas. “Assim é possível oferecer este tipo de atração. No geral, há busca de frequência mais segura”.
O presidente da CDL Porto Alegre (CDL-POA), Irio Piva, comenta que a expectativa é grande “já que em 2021 não teve o presencial”. Também ganha mais relevância o fato de estar ocorrendo um reaquecimento da pandemia.
“Muitas coisas mudaram, como a intensificação da digitalização. O que é presencial agora é virtual”, cita Piva, que está na comitiva. Um grupo da direção e área de gestão da CDL-POA está na viagem. “Um dos grandes temas será o metaverso”, adianta o dirigente, de olho principalmente em tendências que em pouco ou mais tempo baterão à porta do varejo brasileiro.
O metaverso ganhou força, após o anúncio de Mark Zuckerberg de que o Facebook passaria a se chamar Meta. O conceito de metaverso reúne uso de realidade virtual e realidade aumentada para criar ambientes de compras.
Participam da iniciativa as empresas Boutique de Aromas (Panambi), Criamigos (Gramado), Da Luz Calçados (Três de Maio), Empório Essenza (Marau), Meia & Cia (Canoas), Produspet (Nova Prata), Raquel Gubert Ateliê (Santo Ângelo), Sommelier Vinhos (Porto Alegre), Pórtico Móveis e Subway (Bento Gonçalves). 

Lojistas buscam novas referências para negócios

Juliana Guterres, da Meia e Cia, quer entender o pós-pandemia
Juliana vai pela segunda vez à feira e quer saber quanto a pandemia mudou o varejo
PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Serão pelo menos 10 pequenos empreendedores no grupo que o Sebrae-RS estão levando ao palco mundial do varejo. Juliana Guterres, pequena empreendedora e dona da Meia e Cia, com sede em Canoas, chega ao destino atrás de uma resposta:
“Quero entender o que houve em dois anos de pandemia. Acho que o comportamento do consumidor deu um salto muito rápido”, observa ela. Juliana participou em 2018 pela primeira vez da NRF e diz que muitas das aplicações e conceitos como omnichannel - a ideia da convergência dos canais físicos e digitais, se intensificaram no mercado na pandemia.
“Parece que está ultrapassado, mas agora que, na prática, estamos usando. A gente conseguiu acelerar o uso desses ferramentas”, diz ela, no rastro das mudanças geradas pela pandemia.
“O meu foco agora é saber o que fazemos com isso, principalmente o que fazemos dessa aceleração da tecnologia sem perder o foco no que é o pequeno varejo, no relacionamento e experiência interpessoal”.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2022/01/13/206x137/1_d6daae5c_74b4_47a5_a09f_037a6080a3ed-9518408.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'61e09911d90a1', 'cd_midia':9518408, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2022/01/13/d6daae5c_74b4_47a5_a09f_037a6080a3ed-9518408.jpeg', 'ds_midia': 'minuto varejo - nova iorque - comitiva do rio grande do sul -  Veronicah Sella - sócia-fundadora Criamigos - aeroporto de Porto Alegre', 'ds_midia_credi': 'PATRÍCIA FATTINI/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'minuto varejo - nova iorque - comitiva do rio grande do sul -  Veronicah Sella - sócia-fundadora Criamigos - aeroporto de Porto Alegre', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '645', 'align': 'Left'}
Veronicah quer ver referências para impuslionar as franquias da marca do seu negócio
Também está no grupo Veronicah Sella, uma das sócias-fundadoras da Criamigos, um negócio de customização de ursinhos de pelúcia. O negócio foi efeito de uma ida à NRF, e 2015. “Um ano e meio depois montamos o Criamigos, que foi inspirada em uma loja nos Estados Unidos, mas adaptada, principalmente com foco em emoção”, descreve Veronicah, que com a sócia Natiele Krassmann, tem hoje 38 operações, sendo 37 delas franquias.
Pela segunda vez em Nova Iorque, a sócia-fundadora da Criamigos vai atrás de referências desde uso de tecnologias e soluções na relação do digital com físico, uma demanda do negócio que é basicamente presencial e por isso sofreu na pandemia. Além disso, ideias que possam incrementar o modelo de franquia também estão na mira da empreendedora de Gramado, na Serra Gaúcha.
“Precisamos garantir que nossos franqueados tenham ganhos com a atividade”, comenta Veronicah. Para a fundadora da loja onde a criança pode montar o ursinho do jeito que imagina e deseja, incluindo referência de voz e com certidão de nascimento, Nova York tem exemplos que não precisam ser do mesmo negócio que podem ajudar a renovar estratégias desde a experiência e como tornar a relação com o digital tão boa como no presencial.

Como vai ser a jornada em Nova York

NRF Retail's Big Show: 16 a 18 de janeiro
Onde: Centro de Eventos Jacobs Javits, na Ilha de Manhattan
Atrativos: palestras e conferências com nomes de marcas e instituições globais do Varejo, exposição de tecnologias e inovação e seções de startups e outras novidades
Visitas técnicas: são rodadas por varejos considerados ícones recentes no setor
O que a comitiva gaúcha vai ver:
Dia 14: visitas ao Eataly (mercado focado em experiências de gastronomia e consumo de produtos com origem na Itália), Harry Potter Store, Google Store e Starbucks Reserve Roastery
Dia 19: Ornare, Starbucks Pickup Amazon Go, Puma Flagship, Chelsea Market, Camp - a family experiente Store, Reddy e Galeria Melissa
Cobertura da coluna: notícias diárias na coluna no site do JC, redes sociais e transmissão ao vivo, a partir de domingo (16), às 19h, com o que está rolando na feira e na interação com o varejo de NY
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO