Porto Alegre, quinta-feira, 13 de agosto de 2020.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 13 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado digital

- Publicada em 16h05min, 10/08/2020. Atualizada em 17h39min, 13/08/2020.

Pandemia é um laboratório de transformação digital em tempo real, diz Microsoft

Escritórios e fábricas terão que se preparar para garantir segurança dos profissionais

Escritórios e fábricas terão que se preparar para garantir segurança dos profissionais


MICROSOFT/DIVULGAÇÃO/JC
Não é novidade que muitas empresas brasileiras vinham em um processo de digitalização, em maior ou menor escala. Mas, aí veio a Covid-19 como um verdadeiro combustível para acelerar a adoção das novas tecnologias. De uma hora para outra, todos se viram diante do desafio de viabilizar aplicações como trabalho remoto, telemedicina e ensino a distância.
Não é novidade que muitas empresas brasileiras vinham em um processo de digitalização, em maior ou menor escala. Mas, aí veio a Covid-19 como um verdadeiro combustível para acelerar a adoção das novas tecnologias. De uma hora para outra, todos se viram diante do desafio de viabilizar aplicações como trabalho remoto, telemedicina e ensino a distância.
“Vivemos desde o início da pandemia da Covid-19 um grande laboratório em tempo real de transformação digital. As empresas, muitas que nunca imaginaram colocar os seus times em home office, tiveram que fazer isso, e viram que é possível trabalhar nesse modelo”, analisa o head de Dynamics 365 & Power Platform Business Group da Microsoft, Marcondes Farias.
Uma das grandes transformações que aconteceu, sem dúvida, foi no trabalho. Estudo recente da multinacional mostra que a percepção dos gestores é que os escritórios físicos continuarão a existir, mas, depois dessa experiência, o trabalho do futuro caminha para ser uma mistura fluida de colaboração pessoal e remota. Os dados revelam que 82% dos gestores entrevistados esperam ter políticas de trabalho remoto mais flexíveis no cenário pós-pandemia. Já entre os funcionários e gestores, 71% relataram o desejo de continuar trabalhando em casa, pelo menos parcialmente.
“O modelo híbrido deve avançar, e isso significa que as empresas terão que ter recursos para garantir a produtividade e segurança dos dados de quem estiver atuando remoto e a segurança em relação à Covid-19 para quem estiver presencialmente”, analisa Farias.
Um arsenal de novas tecnologias terá que ser usado para garantir o acompanhamento das pessoas que estão voltando a sua rotina nas fábricas e escritórios. Entre as possibilidades estão soluções como de check-in, triagem automática e acompanhamento de toda jornada dentro da companhia. Isso porque, o colaborador pode entrar na empresa sem sintomas e com a temperatura normal, mas, e se depois de três dias ele se sentir mal? As companhias terão quer ser capazes, por exemplo, de identificar todas as pessoas com quem teve contato e que salas de reuniões ele usou, por exemplo. “Talvez passaremos a ter a figura de um gestor de localidade, que faça todo esse acompanhamento. Estamos voltando, mas não será igual a antes”, analisa.
Para apoiar essa caminhada dos gestores, a Microsoft acaba de lançar uma solução de retorno ao trabalho, desenvolvida via Power Platform - ferramenta já existente da multinacional. Trata-se de um conjunto de módulos de ponta a ponta, personalizável e com implantação rápida para ajudar as organizações. As funcionalidades incluem análises de taxa de ocupação, para ver se estão de acordo com a legislação, rastreamento de indivíduos identificados com Covid-19 e até mesmo estoques de produtos como álcool em gel.
Farias comenta que a solução de retorno ao trabalho foi desenvolvida em tempo recorde. “Em três meses, construímos um produto do zero, com baixa codificação, ou seja, mesmo quem não tem background de tecnologia, poderá se beneficiar”, conta.
O head de Dynamics 365 & Power Platform Business Group da Microsoft analisa que, na primeira fase da pandemia, a adoção de modelos mais digitais foi determinante para a sobrevivência no mercado. Agora, essas estratégias devem começar a ser pensadas para garantir a eficiência e a segurança dos funcionários, na medida em que o retorno em algumas cidades, como São Paulo, começa a acontecer. “Qualquer negócio hoje, especialmente no pós-pandemia, vai precisar de tecnologia, um verdadeiro antídoto contra a crise e para garantir a saúde de todos”, destaca Farias.
Comentários CORRIGIR TEXTO