Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

17/07/2020 - 16h02min. Alterada em 17/07 às 16h04min

Vivo inicia oferta do 5G em Porto Alegre por Moinhos de Vento e Shopping Iguatemi

Tecnologia 5G DSS é alternativa enquanto Anatel não realiza leilão das frequências

Tecnologia 5G DSS é alternativa enquanto Anatel não realiza leilão das frequências


Jonah Pettrich by Unsplash/Divulgação/JC
Começará pelas regiões do bairro Moinhos de Vento, Avenida Carlos Gomes e Shopping Iguatemi a oferta do 5G da Vivo em Porto Alegre até o final do mês. A ativação na capital gaúcha acontece ao mesmo tempo que em outras sete cidades brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro.
Começará pelas regiões do bairro Moinhos de Vento, Avenida Carlos Gomes e Shopping Iguatemi a oferta do 5G da Vivo em Porto Alegre até o final do mês. A ativação na capital gaúcha acontece ao mesmo tempo que em outras sete cidades brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro.
Ainda não será o 5G que o mercado aguarda ansiosamente, com a sua capacidade de tráfego 20 vezes maior que o 4G e a baixa latência – tempo entre enviar um pacote de dados e receber a resposta – que permitirá aplicações como telemedicina, realidade virtual em jogos e carros autônomos. Isso ainda depende do leilão das faixas de frequência que será feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apenas em 2021.
A aposta da Vivo e da Claro neste momento, as duas operadoras que já anunciaram a oferta, é no 5G DSS. Com esta tecnologia é possível compartilhar o espectro 3G e 4G não utilizado para prestar o serviço 5G. Contudo, como este espectro não possui uma banda contínua e dedicada, a experiência ainda não poderá ser sentida em sua totalidade.
“A Vivo está fazendo o que é possível neste momento. O potencial da tecnologia 5G é enorme e, enquanto não se tem as frequências dedicadas, estamos evoluindo a nossa rede e utilizando as frequências existentes, assim como sua ampla cobertura de fibra ótica", Ricardo Costa Vieira, que assumiu recentemente como o novo diretor Regional Sul da Vivo.
Ele conta que o 5G DSS deverá permitir uma taxa de transmissão centenas de vezes maior do que a atual, com picos de até 20 Gbps e uma latência (teórica) de até 1 milissegundo - atualmente, com o 4G, a latência está perto de 80 milissegundos.
Por enquanto, a operadora trabalhará um smartphone compatível, o Motorola EDGE, e em breve a Samsung deverá lançar dois modelos. Para o usuário conseguir usar o 5G, só com um aparelho compatível e nas áreas com cobertura.
Vieira assumiu o desafio da regional com a missão de impulsionar a liderança da Vivo no segmento móvel e levar o serviço Vivo Fibra, com banda larga de ultra velocidade, telefonia fixa e TV por assinatura a um número cada vez maior de pessoas no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Sob a sua gestão, são 1,1 mil colaboradores e 372 lojas próprias e revendas.
“Essa é a segunda maior operação da Vivo no Brasil e tenho a responsabilidade de apoiar o desenvolvimento do time e impulsionar nossa posição de destaque na região. Seguimos firmes no propósito de digitalizar para aproximar, especialmente nesse momento de isolamento pela Covid-19, no qual a conexão é ainda mais relevante para a sociedade”, observa.
O executivo comenta que a operadora aproveitou o aprendizado da Espanha, onde fica a matriz do Grupo Telefónica, ao qual a Vivo faz parte. É que lá o vírus chegou com mais força antes que no Brasil. “Nos preparamos bem. Houve um real aumento da demanda das pessoas por mais banda larga e estamos investindo constantemente para ampliar a nossa cobertura”, reforça Vieira.
A empresa investiu R$ 26,5 bilhões em infraestrutura de rede móvel e fixa no Brasil no último triênio. No Rio Grande do Sul, foram R$ 376 milhões em 2019. Uma das metas é a expansão da rede Vivo Fibra. No primeiro semestre de 2020, a operadora destinou R$ 17 milhões para ampliar sua rede FTTH (fiber to the home), que é a fibra até a casa do cliente, em Porto Alegre, Caxias do Sul, Alvorada e Guaíba. Em julho, foi a vez de Pelotas e em agosto será em Novo Hamburgo. Além disso, a empresa se prepara para lançar três novos municípios no Noroeste do Estado, com rede 100% fibra: Santa Rosa, Santo Ângelo e Três de Maio. “Até o final do ano queremos ter 22 municípios com Vivo Fibra e mais de meio milhão de domicílios cobertos no Estado”, relata Vieira.
Comentários CORRIGIR TEXTO