Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio


Alterada em 26/12 às 14h22min
COMENTAR | CORRIGIR

Wayra fecha 2019 com 36 startups no portfólio

Valente destaca que 2020 será de foco em startups mais maduras

Valente destaca que 2020 será de foco em startups mais maduras


WAYRA/DIVULGAÇÃO/JC
A Wayra fechou 2019 com 36 startups no portfólio do Brasil. Juntas, essas operações já ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão de valor de mercado e devem faturar mais de R$ 500 milhões no ano. Ao todo, 74 empresas receberam um total de R$ 14 milhões de investimento da Wayra desde 2012, início da operação no país. As investidas ainda levantaram R$ 250 milhões de aporte externo no mesmo período.
A Wayra fechou 2019 com 36 startups no portfólio do Brasil. Juntas, essas operações já ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão de valor de mercado e devem faturar mais de R$ 500 milhões no ano. Ao todo, 74 empresas receberam um total de R$ 14 milhões de investimento da Wayra desde 2012, início da operação no país. As investidas ainda levantaram R$ 250 milhões de aporte externo no mesmo período.
A Wayra iniciou no mercado como uma aceleradora e migrou para o modelo de hub de inovação aberta da Telefónica e da Vivo. A ideia é investir em empresas mais maduras para ajudá-las a escalar e fazer negócios com a companhia de telefonia, além de conectá-las a outras corporações e investidores. As áreas prioritárias para investimento são startups de Data Analytics/Big Data, Inteligência Artificial, cibersegurança, IoT, Realidade Virtual e Aumentada, além de fintechs, agtechs e edtechs.
“No ano de 2019 executamos projetos importantes com grandes parceiros, o que fortaleceu nossa penetração no ecossistema. Em 2020, vamos continuar buscando empresas que estejam em um estágio maduro e que possam gerar contratos com o Grupo Telefónica. O investimento é consequência”, explica o country anager da Wayra Brasil, Renato Valente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Patrícia Knebel
Patrícia Knebel
Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.