Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de outubro de 2019.
Dia do Enólogo.

Jornal do Comércio

21/10/2019 - 18h09min.
Alterada em 22/10 às 15h12min
COMENTAR | CORRIGIR

Gaúchos propõem soluções para Nasa resolver desafios globais

Pedro Schanzer foi o coordenador da edição porto-alegrense do evento

Pedro Schanzer foi o coordenador da edição porto-alegrense do evento


MARIANA CARLESSO/JC
Foram mais de 48 horas de bootcamp, mentorias, desenvolvimento e avaliações para a seleção das melhores soluções tecnológicas e inovadoras capazes de gerar insights para que a Agência Espacial Americana (Nasa) possa usar os seus dados para entender e proteger melhor os oceanos, reduzir impacto da poeira lunar e explorar os sistemas de outros planetas.
Foram mais de 48 horas de bootcamp, mentorias, desenvolvimento e avaliações para a seleção das melhores soluções tecnológicas e inovadoras capazes de gerar insights para que a Agência Espacial Americana (Nasa) possa usar os seus dados para entender e proteger melhor os oceanos, reduzir impacto da poeira lunar e explorar os sistemas de outros planetas.
O Nasa Space Apps Challenge, o maior hackathon do mundo, aconteceu pela primeira vez em Porto Alegre neste final de semana, e escolheu as duas equipes vencedoras: a To The Moon and Stay e a MyGreen. Esses dois projetos vão representar a cidade de Porto Alegre. O prêmio para as duas melhores equipes globais é uma visita ao NASA Kennedy Space Center, na Flórida, nos Estados Unidos.
A maratona de desenvolvimento aconteceu, simultaneamente, em 200 cidades pelo mundo. Equipes multidisciplinares formadas cada uma por cinco pessoas tinham como meta criar uma solução para atender a um dos 25 desafios diferentes propostos pela Nasa. As atividades aconteceram na Fábrica do Futuro, responsável também por selecionar os participantes juntamente com Ufrgs, Unisinos e Purcrs. O evento teve apoio do Sebrae-RS.
“O mais importante para a Nasa não era que os times fizessem uma super solução em dois dias, o que seria inviável, mas que conseguissem apresentar os caminhos para que os engenheiros da Nasa pudessem entender e criar em cima disso”, comenta o analista de negócios e programador na Fábrica do Futuro, Pedro Schanzer.
A ideia da MyGreen foi criar um aplicativo que usa gamificação como estímulo para que as pessoas tenham hábitos mais saudáveis e sustentáveis, desta forma, melhorando o planeta. A equipe é formada por Pedro Fossati Gaona, Douglas Victor Freitas de Menezes, Pedro Kondak Villas Boas, Cristiano Dornelles e Bruna de Castro Roberto. Eles usaram dados que a Nasa disponibiliza para diminuir a poluição nas cidades.
Já a To The Moon and Stay propôs uma solução que levará todo mundo com a Nasa na sua missão à Lua, em 2024. O Passport to the Moon será uma plataforma lúdica na qual cada pessoa poderá ter em mãos seu ticket virtual para a viagem à Lua. Quem adquirir o passaporte, terá seus nomes gravados na espaçonave Orion e fará parte da Missão Artemis. Além disso, será possível encarar desafios da jornada do astronauta com gamificação e acompanhar a contagem regressiva. “Acreditamos que a humanidade é movida e inspirada por histórias, e essa nossa história de retorno à Lua merece ser vivenciada por todos”, comenta Daniela Braghini, que teve ao seu lado neste projeto Laura Luz Pilz, Luís Pozenato, Paulo Ricardo Moraes e Gustavo Alcaria Ramos.
Segundo ela, a experiência deste hackathon foi de pura resiliência e superação. “Na noite de sábado, no nosso pré-pitch com os mentores, levamos um balde de água fria quando vimos que a nossa ideia inicial tinha saído completamente do escopo do desafio. Voltamos à estaca zero, até que nos veio essa inspiração”, relembra.
Pedro Schanzer, que coordenou o Nasa Space Apps Challenge em Porto Alegre, comenta que esse foi só o primeiro passo. A ideia é que uma segunda edição na capital gaúcha possa atrair ainda mais participantes. "Queremos gerar conexões com o ecossistema internacional e sediar esse hackathon é uma forma de mostrarmos que temos metodologia para gerar soluções globais com apoio da maior agência aeroespacial”, aponta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Patrícia Knebel
Patrícia Knebel
Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.