Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de junho de 2019.
Dia do Ministério Público Estadual.

Jornal do Comércio

28/06/2019 - 15h28min.
Alterada em 28/06 às 16h06min
COMENTAR| CORRIGIR

'A nuvem transformou tudo em software', diz Vogel, um dos pioneiros da cloud

Werner Vogels é um dos pesquisadores pioneiros em cloud e é o CTO da Amazon.com

Werner Vogels é um dos pesquisadores pioneiros em cloud e é o CTO da Amazon.com


RAFAEL RONCATO /AWS/DIVULGAÇÃO/JC
São Paulo
Levar para a nuvem serviços mais tradicionais de tecnologia como os de banco de dados, armazenamento e networking já é quase lugar comum. As empresas que estão querendo inovar e acelerar o seu crescimento no mercado começam a olhar com mais atenção essa tecnologia para habilitar os projetos que envolvem as chamadas tecnologias exponenciais, como Inteligência Artificial/Machine Learning, Internet das Coisas (IoT) e Big Data/Analytics.
Ajudar os clientes nessa jornada é um dos grandes direcionadores estratégicos da Amazon Web Services (AWS), plataforma de cloud mais adotada do mundo - o crescimento foi de 41% de crescimento global no último trimestre - e com clientes como iFood, Nubank, Netflix, Nasa e Airbnb. "Cloud é a grande viabilizadora de toda essa evolução. É um ciclo de ganha-ganha, em que a gente inova no nosso portfólio e os nossos clientes usam a nossa plataforma para também se diferenciar no mercado", comenta o presidente da AWS Brasil, Cleber Morais.
Um dos pesquisadores pioneiros da nuvem e CTO da Amazon.com, Werner Vogels comenta que a companhia tem trabalhado para facilitar a adoção destas novas tecnologias por parte dos clientes. É o caso de machine learning que, segundo ele, sempre exigiu um longo processo de desenvolvimento, e que agora já está disponível de forma simplificada na plataforma da AWS, junto a outros 164 diferentes serviços. "Há uma procura massiva por essa tecnologia, e a nossa proposta é fazer com que isso esteja nas mãos de todos os desenvolvedores, e não apenas dos cientistas de dados. Por isso, estamos reinventando nosso portfólio de produtos nessa área", conta.
O executivo, que trabalha muito próximo de Jeff Bezos, fundador da Amazon, foi uma das atrações do AWS Summit, que aconteceu quinta-feira (27) e reuniu cerca de 8,5 mil pessoas no Transamérica Expo Center em São Paulo. Ele destacou a importância dos dados como direcionador de estratégicas vencedoras para as empresas e o quanto a nuvem tornou a tecnologia igualitária. "Hoje em dia todos têm acesso aos mesmos recursos de TI, desde as startups até as maiores corporações do mundo. O diferencial agora são os dados e o uso inteligente deles para a tomada de decisões", aponta.
Vogels comenta que a nuvem transformou tudo em software e credita o sucesso da AWS a forma como a empresa constrói e entrega os seus serviços. "Acreditamos que temos que dar uma caixa de ferramentas gigantesca para as empresas decidirem quais elas precisam para criar os seus aplicativos", observa.
Ele faz uma analogia com a construção de uma casa. Antes, o que se entregava para os clientes era uma casa pré-fabricada, em que era possível mudar apenas algumas coisas, como a cor das paredes. Eram aplicativos feitos dentro de um molde. "Agora, com a AWS, você constrói a sua própria casa, que pode ser uma barraca ou mansão, usando as ferramentas que escolheu para a sua aplicação", diz.
Entre os drivers primários que levam as empresas a se mover para nuvem estão o ganho de agilidade e de levar ao mercado novos produtos; previsibilidade da capacidade para cada situação do negócio (como um fluxo muito alto em determinados horários do dia); custo de aquisição de infraestrutura; abrangência de serviços e possibilidade de se tornar global em minutos.
E é de olho nisso que a Natura está ampliando o uso da nuvem. A meta é transformar a 'rede social' criada pela empresa nos últimos 50 anos em um a rede 100% digital. Atualmente, 860 mil consultoras já usam o aplicativo para se relacionar com a marca, número que deve chegar a 1,2 milhão esse ano e a 2 milhões na América Latina em breve.
"Cloud é fundamental para o futuro da Natura. Queremos virar uma plataforma mundial, então, é inevitável apostar na nuvem para ter mais velocidade e escalabilidade neste processo de evolução", afirma o VP de tecnologia e transformação digital da Natura, Fernando Mattoso Lemos. Cerca de 100 mil pedidos são processados por dia aplicativo, que oferece facilidade como a de as consultoras poderem fazer e gerenciar os pedidos de produtos e fazer treinamento.
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patrícia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.