Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

16/05/2019 - 14h53min.
Alterada em 16/05 às 14h53min
COMENTAR | CORRIGIR

StartSe inaugura operação no Vale do Silício

Liderada por Englert, StartSe deve faturar R$ 70 milhões em 2019

Liderada por Englert, StartSe deve faturar R$ 70 milhões em 2019


MARIANA CARLESSO/JC
A StartSe, empresa de educação executiva continuada, vai ter uma base educacional no Vale do Silício (EUA), a StartSe University. A informação foi confirmada pelo CEO da empresa, Pedro Englert, que esteve essa semana em Porto Alegre. A expectativa é iniciar em julho.
“Estamos levando a operação da StartSe para o Vale do Silício e, com isso, o que fazemos hoje para o Brasil poderemos fazer no mundo com a nossa plataforma global”, conta. A sede ficará em Palo Alto e receberá o escritório da empresa, um laboratório de Inteligência Artificial em parceria com a startup Olivia e uma sala e aula para a realização de cursos. A meta é atender brasileiros e estrangeiros que queiram estudar o currículo da chamada nova economia – devem ser 1 mil alunos ainda neste ano e 3 mil em 2020.
Para colocar o projeto de pé e financiar seu primeiro ano de funcionamento, a StartSe está investindo R$ 5 milhões, o maior aporte feito até hoje pela empresa. Em dois anos, 100 mil pessoas passaram pelos cursos, programas e eventos da StartSe. “Nosso propósito é criar novos começos. Ensinamos as ferramentas, recursos e mindset que as pessoas e empresas precisam para navegar nesse novo mundo”, explica Englert.
A receita da StartSe saltou de R$ 3 milhões em 2016 para R$ 36 milhões no ano passado. A expectativa é alcançar R$ 70 milhões em 2019.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patrícia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.