Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Vinicius Ferlauto

Giro Rápido

Edição impressa de 11/01/2019. Alterada em 10/01 às 22h22min

Interação total

A Ford anunciou na Consumer Eletronic Show (CES) 2019, a maior feira de tecnologia do mundo, em Las Vegas, nos Estados Unidos, que irá oferecer a tecnologia de comunicação do "veículo com tudo pelo celular" (chamada C-V2X) em todos os seus automóveis novos vendidos no mercado norte-americano a partir de 2022. A C-V2X é uma comunicação sem fio altamente avançada que permite aos veículos "ouvir" e "conversar" uns com os outros, com os pedestres e com a infraestrutura de trânsito para transmitir informações de segurança e ajudar a criar um sistema de mobilidade inteligente e conectado. A tecnologia foi planejada para operar com a rede de celular 5G, que está avançando rapidamente no mundo. Ela permite a comunicação direta entre os dispositivos conectados - ou seja, o sinal não precisa "viajar" primeiro para uma torre de celular -, por isso é muito rápida. As comunicações C-V2X indiretas (do veículo para a rede e todo o resto) são o próximo passo na evolução da tecnologia 5G e estarão disponíveis em um futuro muito próximo.
Visão ampliada
Também na Consumer Eletronic Show (CES) 2019, a Nissan revelou a sua visão para o futuro de um veículo que ajuda os motoristas a "enxergarem o invisível", ao combinar o mundo real e o virtual. O conceito Invisible to Visible (I2V ou "Invisível para Visível") dará apoio aos motoristas ao mesclar as informações dos sensores internos e externos dos carros com dados armazenados na nuvem. Isso viabilizará que o sistema não apenas rastreie o entorno do veículo, como também antecipe o que está à frente ou para acontecer - revelando, por exemplo, o que está atrás de um prédio ou na próxima esquina. As orientações serão fornecidas de maneira interativa e humanizada dentro do carro.
Destaque comercial
O Honda HR-V alcançou as 200 mil unidades comercializadas no Brasil, no fechamento de 2018. Lançado em março de 2015 no País, o SUV logo se tornou o modelo mais vendido pela marca japonesa e, agora, o que mais rapidamente alcançou esse marco. Disponível em três versões - LX, EX e EXL -, todas equipadas com motor 1.8 16V FlexOne, o HR-V ganhará este ano a nova versão Touring, dotada do propulsor 1.5 Turbo já empregado no Honda Civic.
Produtividade
Em dezembro passado, após cinco anos da inauguração de sua fábrica nacional, em Fazenda Grande (PR), a Sumitomo Rubber do Brasil Ltda., detentora das marcas Dunlop e Falken, atingiu o volume de 20 milhões de pneus produzidos no País. Em 2019, um investimento de mais de R$ 600 milhões para ampliação das instalações possibilitará elevar a produção diária para 18 mil pneus de veículos de passeio e mil pneus de caminhões e ônibus até 2020.
Litorânea
A Savarauto está presente novamente na praia gaúcha de Atlântida, com exposição dos modelos Mercedes-Benz, Jeep e Toyota. E, neste sábado, organiza a edição de verão do Jeep LoveRS, passeio para clientes de veículos dessa marca que percorrerá trilhas na região de Maquiné.
Aquém do projetado
As dezesseis marcas filiadas à Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores), com a venda de 37.582 unidades em 2018, tiveram alta de 26,3% relativa ao ano anterior, quando foram comercializadas 29.751 unidades. O resultado ficou abaixo da previsão da entidade, que apostava em 40 mil veículos importados emplacados em 2018. A principal causa disso, segundo a Abeifa, foi a alta do dólar. Para este ano, a associação estima licenciar 50 mil unidades, crescimento de 33% sobre 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia