Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 14/02/2020.
Alterada em 14/02 às 03h00min

Uma folga longe do litoral

Nosso jantar começou com essa impecável porção arancini de arroz arbóreo, queijo e bacon

Nosso jantar começou com essa impecável porção arancini de arroz arbóreo, queijo e bacon


FOTOS CPM/ESPECIAL/JC
Para quem gosta de viajar no contrafluxo - ou seja, quando todos vão para um lado, você vai para o oposto -, eis uma boa época para subir a Serra. O flat do Laje de Pedra é um exemplo, agradabilíssimo e pouco concorrido no verão. Mais difícil, como se verá, é prestigiar Canela e seus esforços para competir com Gramado. Muitos locais simplesmente não abrem na região, o jeito é deslocar-se para o Centro, em direção à bonita Catedral de Pedra.
Para quem gosta de viajar no contrafluxo - ou seja, quando todos vão para um lado, você vai para o oposto -, eis uma boa época para subir a Serra. O flat do Laje de Pedra é um exemplo, agradabilíssimo e pouco concorrido no verão. Mais difícil, como se verá, é prestigiar Canela e seus esforços para competir com Gramado. Muitos locais simplesmente não abrem na região, o jeito é deslocar-se para o Centro, em direção à bonita Catedral de Pedra.
Nesse trajeto, surge uma boa ideia: reativada, a antiga estação de trens hoje é parte de um projeto de pequenos comércios e de alguns restaurantes - um deles, o Férreo, além do salão principal, tem mesas dentro de um autêntico vagão, completamente restaurado. Outros têm mesas em decks ou simplesmente sobre o calçadão - e aí aparecem os problemas.
Como aconteceu conosco na Casa do Pinóquio. Nosso jantar, em pleno sábado, começou com essa impecável porção arancini de arroz arbóreo, queijo e bacon (foto acima, 1, R$ 39,00), enquanto esperávamos risoto de Gorgonzola (com cubos de mignon - R$ 59,00) e nhoques ao molho de queijo Serrano (R$ 39,00 mais R$ 20,00 pelos tais cubos de mignon).
Eis que um enorme cão preto passa a circular por entre as mesas do deck e senta-se exatamente ao lado da nossa. Reclamamos e, entre afagos com as mesmas mãos que nos serviam, foi retirado pelo garçom. Uniu-se a outros cães vadios nas proximidades e passou a latir sem parar, enquanto a matilha toda corria para um e outro lado. Comemos rapidamente, pagamos a conta e adeus - jamais cometa o erro de sentar às mesas fora do salão. A prefeitura não seria capaz de removê-los e encaminhá-los para adoção?
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/206x137/1_pan___gastronomia__conteinner___fachada___foto_cpm-8979653.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e44637b183e1', 'cd_midia':8979653, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/pan___gastronomia__conteinner___fachada___foto_cpm-8979653.jpg', 'ds_midia': 'FOTO 2 - PAN - GASTRONOMIA- CONTEINNER - Fachada - FOTO CPM', 'ds_midia_credi': 'CPM/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'FOTO 2 - PAN - GASTRONOMIA- CONTEINNER - Fachada - FOTO CPM', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Ainda bem que Canela tem lugares como o Containner Bistrô, onde jantamos na sexta-feira. Um charme desde a fachada (foto acima), com agradável música ao vivo - ao invés de uivos e latidos, Percebemos alterações no menu, mas lá estavam o risoto de Brie e Parma (R$ 48,00) e os medalhões de filé ao vinho do Porto com risoto de alho-poró (foto abaixo, R$ 66,00) que já nos haviam cativado em outras ocasiões. Muito bom, aberto das 10h às 23h, folga nas quartas-feiras.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/206x137/1_pan_1____gastronomia___conteinner___file___foto_cpm_8979640-8979840.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e4473614c5be', 'cd_midia':8979840, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/pan_1____gastronomia___conteinner___file___foto_cpm_8979640-8979840.jpg', 'ds_midia': 'pan 1 ___gastronomia___conteinner___file___foto_cpm-8979640', 'ds_midia_credi': 'CPM/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'pan 1 ___gastronomia___conteinner___file___foto_cpm-8979640', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Uma tentativa frustrada foi jantar no bem recomendado La Braise, no acesso ao condomínio Laje de Pedra: simplesmente o restaurante deixou Canela e transferiu-se para Gramado, próximo ao Villa Berti.
Visita inevitável em Gramado: ao Quintanilha, instalado em lindíssima casa junto ao Lago Joaquina Rita Bier, que oferece a melhor relação preço/qualidade da Serra. Um bufê completíssimo nos almoços de terças a sextas-feiras, incluídos sucos naturais de uva, de laranja, água e sobremesas (foto abaixo, apenas uma parte delas) custa R$ 38,00; aos sábados, domingos e feriados, ainda mais caprichado, R$ 53,00.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/206x137/1_pan___gastronomia_quintanilha___sobremesas__foto_cpm-8979667.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e4463be38ae7', 'cd_midia':8979667, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/02/12/pan___gastronomia_quintanilha___sobremesas__foto_cpm-8979667.jpg', 'ds_midia': 'FOTO 4 - pan - gastronomia QUINTANILHA - SOBREMESAS- foto CPM', 'ds_midia_credi': 'CPM/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'FOTO 4 - pan - gastronomia QUINTANILHA - SOBREMESAS- foto CPM', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}

Você já preparou o Gravlax?

FOTO 5 - pan - gastronomia - Gravlax - Crédito Luis Henrique Bisol Ramon
Na versão moderna, o chef Luis Carlos Reis sepulta salmão em sal e açúcar por 48h
LUIS HENRIQUE BISOL RAMON/DIVULGAÇÃO/JC
Assim como se diz que os tropeiros gaúchos salgavam charque no lombo dos cavalos, conta-se que essa receita foi criada por guerreiros vikings, que enterravam o peixe nas areias da praia até que curasse. Na versão moderna, o chef Luis Carlos Reis, sócio do Wok ‘n’ Roll, inaugurado há pouco em Caxias do Sul, sepulta salmão em sal e açúcar por 48h – depois, em poucos minutos a iguaria fica pronta.
Ingredientes:
(quatro porções)
  • 800g de filés de salmão
  • 1 kg de sal grosso
  • 1 kg de açúcar refinado
  • 1 dose de whisky ou bourbon endro, dill (ou funcho) picados, em profusão
  • raspas e suco de um limão siciliano
Modo de preparar:
  1. Filetar o filé de salmão e reservar.
  2. Misturar os demais ingredientes em um bowl grande.
  3. Forrar o fundo de uma assadeira com parte da mistura, dispor o salmão por cima e cobri-lo com o restante dela.
  4. Deixar curando por dois ou três dias, até alcançar a textura desejada, revirando as peças com o líquido que se forma, duas vezes ao dia.
  5. Limpar o peixe com toalha de papel e cortá-lo finamente com faca muitíssimo bem afiada.
  6. Servir com molho da sua preferência e torradinhas para acompanhar, ou como ingrediente de saladas.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Carlos Pires de Miranda
Carlos Pires de Miranda
As novidades nas operações gastronômicas no Rio Grande do Sul, receitas exclusivas e dicas de lugares agradáveis para apreciar o melhor da culinária estão na coluna Gastronomia, publicada todas as sextas-feiras.