Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de abril de 2019.
Dia do Obstetra.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

homem na cozinha

Edição impressa de 12/04/2019. Alterada em 12/04 às 03h00min

Salmão correto e delicioso

Salmão com pupunha

Salmão com pupunha


VILLA DI PASTA/DIVULGAÇÃO/JC
A uma semana do feriadão de Páscoa, escolhi uma receita que pode ser útil em qualquer momento: salmão em crosta de amêndoas, ao molho de mostarda, mel e hortelã, com talharim de palmito. Ela faz parte do Festival de Pupunha Natural, que durante o mês de abril acontece no restaurante paulista Villa di Pasta.
Na próxima quinta-feira, mais sugestões para sua comemoração em família.
Salmão com pupunha
Enviada por chef Marcos Rillo
Ingredientes:
  • 1 posta de salmão de aproximadamente 250 g
    azeite
  • 50 g de farinha de pão
  • 30 g de manteiga
     
  • 30 g de Parmesão ralado
     
  • 50 g de amêndoas moídas
     
  • 100 ml creme de leite fresco
     
  • 50 ml mostarda
     
  • 1 colher (sopa) de mel
  • folhas de hortelã frescas
     
  • 200 g talharim de palmito pupunha natural
     
  • 1 colher (sopa) de manteiga 
Modo de preparar:
1. Aquecer azeite em uma frigideira e selar o salmão por todos os lados.
2. Passar o peixe a um refratário e levar ao forno por 14 minutos, a 200º C.
3. Misturar farinha, manteiga, queijo Parmesão e amêndoas, formando uma pasta.
4. Retirar salmão, passar essa pasta sobre o ele e devolvê-lo ao forno até dourar.
5. Em uma frigideira, derreter uma colher de manteiga e aquecer talharim de palmito, antes temperado com sal.
6. Levar ao fogo creme de leite e mostarda, ferver até reduzir ao ponto de um molho espesso. Adicionar mel e decorar com folhas de hortelã.
7. Uma variação sugerida: servir salmão e talharim sobre uma fatia de abacaxi grelhado ou assado e o molho como escolta.
8. Uma possibilidade politicamente incorreta, aventada pelo colunista, sem ofender o renomado chef: substituir o palmito por alguma massa de fio de sua preferência. Também vai ficar bom.

Das duas, qual você prefere?

Quem conhece os dois parques da Universal em Orlando certamente também conhece o City Walk – uma enorme área de entretenimento, com lanchonetes, bares, baladas e restaurantes. É neste capítulo que, à beira do lago, entre o Vivo Italian Kitchen e o Jimmy Buffett's Margaritaville, irá se enquadrar o Bigfire, com inauguração prevista para o início do verão americano. A culinária na fogueira será sua especialidade, servida nos dois andares do prédio, com seus arredores à semelhança de um acampamento.
Em cada mesa se poderá assar marshmallows, degustar entradas como truta de água doce ou saladas defumadas. Ao centro do restaurante, grelhas alimentadas com lenha de cerejeira ou nogueira receberão suculentas peças de carne, como essa ribeye de 16 onças aí da foto, preparadas às vistas dos comensais. Vamos salivando, enquanto a inauguração não vem.
Mais perto, em Belo Horizonte, uma casa dedicada às carnes uruguaias: a Monjardim Costelaria. O destaque é logicamente a costela, da raça Hereford, que apresenta invejável marmoreio, como se pode ver na foto. Outras possibilidades: assado prime, bife de chorizo ou collita – um corte especial da maminha uruguaia. Fica no bairro Lourdes, em BH, na Rua Curitiba 2.076.

Via e-mail

Mil-folhas da chef Ana Heidel

Mil-folhas da chef Ana Heidel


ANA HEIDEL/DIVULGAÇÃO/JC
  • São Francisco de Paula promove nesta sexta-feira e no sábado seu segundo Festival da Batata. O evento reunirá vários chefs brasileiros, que ministrarão aulas gratuitas. A batata será a atração principal dos menus em restaurantes da cidade e nas 12 estações do festival - nelas, refeições custarão R$ 15,00. Na foto, mil-folhas da chef Ana Heidel.
  • Outra atração de São Chico, o queijo serrano agora pode ser comercializado em todo o Rio Grande: os produtores Luiz Alfredo dos Santos (foto 1) da Fazenda São João e José Luiz Cardoso, da Sopro do Minuano, são os únicos da região certificados para venda.
  • Começa nesta sexta-feira a 20ª edição do Comida di Buteco. Até dia 5 de maio, mais de 600 botecos de todo o Brasil estarão sugerindo porções de petiscos por R$ 20,00. Votação popular e de jurados apontarão os melhores.
  • No Rio Grande, 20 botecos de Porto Alegre e Canoas participam do concurso, entre eles, os campeões de 2018 por aqui: Bar Tuim, Bar Chopp Petiscos e Yuu Pub.
  • Por falar em Canoas, foi lá que a franquia de lanchonetes temáticas Mundo Animal inaugurou a 18ª unidade da marca. O espaço (foto 2) tem 600 m² e capacidade para 400 pessoas. Na rua Liberdade 721, de 18h30 à 0h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia