Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

Edição impressa de 06/09/2018. Alterada em 06/09 às 01h00min

A capital gastronômica do continente (parte II)

CPM/ESPECIAL/JC
Estávamos em São Paulo, dispostos a explorar a pé os arredores do Itaim Bibi, onde nos hospedamos. A sete minutos de caminhada desde o hotel está o Parque do Povo, do tamanho do nosso Parcão, cercado como costumam ser todos os parques da cidade, bem frequentado e policiado, um oásis de silêncio e paz, rodeado por magníficos prédios - lembra um pequenino Central Park. A um quarteirão, a Faria Lima, a poucos mais a Juscelino, largas avenidas repletas de prédios corporativos, com um shopping Iguatemi em cada uma.
A praça de alimentação do Iguatemi Faria Lima oferece boa variedade de opções, o que é oportuno a quem viaja com criança. O Iguatemi JK é o top, com pelo menos três bons restaurantes - um da rede Almanara, outro da Ráscal e o premiado Varanda Grill, conhecido por servir diferenciados cortes brasileiros, argentinos e os americanos ribeye, T-bone (R$ 168,00) e outros.
Fora dos shoppings, as opções são muitas e bem diversificadas. Uma visita inevitável é ao Eataly, italianíssimo desde as prateleiras com milhares de produtos importados até os setores de peixaria, açougue, padaria e, claro, os restaurantes, vários, todos com mesas visíveis a quem transita pelos dois andares do prédio. Há quem passe lá apenas para comprar alimentos, outros almoçam ou jantam em ambientes integrados, cozinhas abertas e absoluta informalidade. As cartas de vinhos, logicamente com preponderância de italianos, atendem a todos os gostos.
Era meia-tarde quando nos decidimos pela Trattoria do térreo, que opera diariamente e, de sextas-feiras - como era o caso - a domingos, vai direto das 12h às 23h. Uma breve espera e já estávamos à mesa, degustando grossas fatias de pão rústico e examinando o menu: quatro antepastos, um risoto, quatro massas, cinco principais e alguns acompanhamentos extras. Foi difícil resistir ao lombo de bacalhau à Vicenza (R$ 68,00), mas optamos pelo seguinte: um prato kids - spaghetti ao molho de tomate, R$ 38,00 -, elogiados raviólis de ricota e espinafre ao molho de manteiga, limão e pistache (R$ 46,00), mais uma porção de espinafre com uva passa e pinólis (R$ 18,00).
Para o colunista, uma consagração: ossobuco alla milanese (R$ 58,00 foto), longamente cozido no molho da própria carne, temperado com clássica gremolata de salsinha, limão, azeite, pimenta dedo de moça, tomilho e alecrim. Inesquecível! Ainda fiz guarnecer por preciosa polenta cremosa com Pecorino (R$ 18,00). A conta, com os 10% e mineral, ficou em R$ 230,52. O Eataly fica na av. Juscelino Kubitschek,1.489.
Também acessível a pé - cinco minutos desde nosso hotel - tivemos um almoço dominical no Ráscal do Itaim Bibi (rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 831). É um bufê, sim, mas de ótimo nível, salão amplo, cozinhas inteiramente à vista do cliente, desde a preparação das massas, que depois serão servidas em uma ilha exclusiva delas, até as atraentes mesas de entradas frias e pratos quentes.
Ceviche de salmão, bruschetta, atum grelhado com gergelim, lasanha de massa verde recheada com cogumelos, arroz na tinta de lula com tentáculos de polvo e camarões, cebolas grelhadas, berinjela recheada e conservas variadas estiveram entre nossas escolhas. Na ilha de massas, cinco variedades cozidas na hora, vários molhos e opções de carne - chuleta de porco e este polpetone, impecável na execução e no ponto de fritura, escoltado pelos raviólis da casa e uma porção de fetuccinne ao molho de espinafre - foi meu prato.
Aos fins de semana o restaurante emenda almoço e jantar, ao preço de R$ 89,00 por pessoa, com direito a servir-se à vontade. A conta, com mineral e três sobremesas, mais a gorjeta sugerida de 13%, ficou em R$ 300,35. Vale.
Como de hábito, o colunista viajou a convite de si mesmo.

Para quem controla carboidratos


VANDA HERING/DIVULGAÇÃO/JC
A chef se especializou em criar receitas com quase nada de carboidratos. Essa é bem fácil e resulta em uma apreciável sobremesa.
Panqueca low carb
Por chef Vanda Hering
Ingredientes:
  • 2 ovos
  • 150g de farinha de amêndoas
  • 80 a 100ml de água
  • 1 pitada de sal
  • Manteiga
  • geleia diet de frutas vermelhas
Modo de preparar:
  1. Bater ovos com um garfo e misturar com farinha, água e sal. Deixar descansando por cinco minutos.
  2. Aquecer manteiga em uma frigideira e colocar porções de massa, uma de cada vez, formando panquecas.
  3. Abaixar o fogo, esperar ficarem firmes, formando pequeninas bolhas nas pontas.
  4. Virar cada panqueca e completar o processo.
  5. Servir com geleia de frutas vermelhas sem açúcar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia