Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

homem na cozinha

Notícia da edição impressa de 06/07/2018. Alterada em 05/07 às 22h12min

Burrata, recheio raro e delicioso

VIV GASTRONOMIA - HOMEM NA COZINHA Ravioli de Burrata FOTO DIV Burrata Levitare

VIV GASTRONOMIA - HOMEM NA COZINHA Ravioli de Burrata FOTO DIV Burrata Levitare


/BURRATA LEVITARE/DIVULGAÇÃO/JC
Nem manteiga nem Mozzarella: burrata é algo entre uma e outra. Na verdade, um tipo de queijo de búfala, originário da região de Puglia e disponível em bons supermercados. Como nunca vi raviólis com esse recheio à venda, só fazendo em casa. Garanto que vale a pena, ainda mais com chocolates belgas como sobremesa. Que assim seja!
Raviólis de burrata ao molho de tomates
Do Genésio Pasta & Chopp, para Levitare
Ingredientes (24 raviólis):
  • ½ kg de farinha de trigo
  • 5 ovos inteiros
  • 4 gemas
  • 480 g de burrata
  • 120 g de Parmesão ralado
  • xícara de azeite
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 4 tomates grandes, sem pele ou sementes
  • 1 cebola (pequena) picada
  • 2 dentes de alho amassados
  • 3 colheres (sopa) de manjericão
  • sal
Modo de preparar:
  • Colocar farinha em uma tigela, formando um buraco no centro. Preencher o buraco com ovos inteiros e as quatro gemas.
  • Misturar com um garfo, incorporando aos poucos a farinha aos ovos. Com as mãos, amassar até formar uma bola.
  • Sovar a massa por cerca de cinco minutos e levá-la a uma vasilha untada com azeite. Cobrir com filme plástico e descansar por no mínimo 15 minutos.
  • Amassar burrata com um garfo, misturar Parmesão, meia xícara de azeite e reservar. No azeite restante, refogar cebola picada, alho e reservar.
  • Picar grosseiramente tomates pelados e juntar ao refogado. Aquecer um pouco, acrescentar folhas de manjericão, acertar o sal e manter aquecido.
  • Dividir a massa em pequenas porções, formando bolas menores. Com as palmas das mãos, achatar bolas uma por uma e passar o rolo, até obter a espessura de 1,5 cm, em quadrados de 8 cm x 8 cm.
  • Rechear cada ravióli com aproximadamente 30 gramas do refogado.
  • Levar ao fogo uma panela com água fervente, mergulhar os raviólis e retirá-los assim que subirem.
  • Passar a uma travessa, ou diretamente aos pratos, cobrir com o molho aquecido, decorar com folhas de manjericão e servir.

via e-mail


LEONARDO LENSKIJ/DIVULGAÇÃO/JC
  • Era apenas uma cafeteria, com lanches e almoço em bufê. Dela tenho ótimas lembranças: por algumas horas, ali amenizei a espera pela chegada do nosso Pedro, hoje prestes a completar nove anos. Desde quarta-feira, passou a ser o Bistrô do Hospital Moinhos de Vento. Pratos regionais, leves ou orgânicos integram o menu de chef Samir, em ambiente relaxante (foto). Aberto ao público, no térreo do Bloco C - rua Ramiro Barcelos, 910.
  • Edemir Simonetti, do Grupo Variettá, foi vencedor da licitação e promete inaugurar, em 60 dias, o restaurante panorâmico no Parque Urbano da Orla do Guaíba. Ele também é permissionário do Chalé da Praça XV.
  • No Castelo Oric, a sugestão desta sexta-feira é feijoada, seguida do jogo entre Brasil e Bélgica, em espaço climatizado, decorado em verde e amarelo. A partir de meio-dia, R$ 35,00 por pessoa. Avenida Guaíba, 4.126, Vila Assunção.
  • Na famosa Churrascaria Schneider, a próxima sexta-feira será uma oportunidade de almoçar ou jantar bem, além de colaborar com a Pousada Solidariedade, que receberá parte da renda do dia. Na avenida Bahia, 29, com sorteio de duas diárias no Hotel Cercano, de Gramado.
     

Restaurantes de antigamente


AL DENTE/DIVULGAÇÃO/JC
Era apenas um truck, agora ganhou uma loja em Brasília tamanho o sucesso do Camarão Burguer. O nome já permite intuir que, no cardápio, há opções com pão australiano, camarão crispy, bacon e molho barbecue (R$ 30,61), ou de brioche, camarão crispy, Mozzarella e cebola caramelizada. Certo, se faz sucesso, é porque há mercado para isso.
Nada segura a criatividade das hamburguerias, que se vão inserindo inexoravelmente no cotidiano da atual geração de jovens de todo o Brasil. Conquistam potenciais clientes dos restaurantes à antiga, conseguem concorrer até mesmo com apetitosos bufês de almoço, alguns com preço semelhante ao do hambúrguer citado no início.
Só me permitam ter saudades de restaurantes com serviço a la carte, garçons de summer, maître de smoking e gravata borboleta. E de lamentar o fechamento de mais uma casa nesse estilo - menos a gravata, ressalte-se: após 30 anos, foi-se o Al Dente, pioneiro na cidade em explorar a culinária do Norte da Itália (foto). Assim como já desistiram chefs categorizados, engolidos pela crise econômica e, claro, pelo boom das hamburguerias.
No caso do Al Dente, um consolo: restou o restaurante da mesma dona, no Centro Histórico, instalado no tradicional City Hotel. Somente almoço em bufê, é verdade, por um preço camarada - R$ 39,00 ( 10%), de segundas a sextas-feiras. Nestas, tem feijoada. Informações: (51) 3212-5488.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia