Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 23/01/2020.
Alterada em 23/01 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

'O governo de Donald Trump defenderá fortemente um convite ao Brasil na OCDE', diz Pompeo

'O governo de Donald Trump defenderá fortemente um convite ao Brasil na OCDE', diz Pompeo


SAUL LOEB/AFP/JC
"O governo de Donald Trump defenderá fortemente um convite ao Brasil para iniciar o processo de adesão à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), levando em consideração o alinhamento do governo brasileiro com as políticas econômicas dos EUA." Mike Pompeo, secretário de Estado americano.
"O governo de Donald Trump defenderá fortemente um convite ao Brasil para iniciar o processo de adesão à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), levando em consideração o alinhamento do governo brasileiro com as políticas econômicas dos EUA." Mike Pompeo, secretário de Estado americano.
"O mecanismo de disputa da Organização Mundial do Comércio (OMC) vai ter que mudar para lidar com novas condições da economia global. Não tenho dúvidas de que a OMC vai sobreviver, mas o mecanismo de disputa vai ter que ser diferente." Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC, em Davos, na Suíça.
"O Congresso é sensato ao concretizar a privatização dos Correios. Não faz sentido mais ter uma empresa para entregar cartas se ninguém mais escreve cartas." Salim Mattar, secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia.
"Entre as razões pela privatização dos Correios estão o aumento de funcionários, a perda de eficiência e o déficit com o plano de saúde dos funcionários, de R$ 3,9 bilhões, e no fundo de pensão Postalis, de R$ 11 bilhões. Vai chegar uma hora em que não terá mais condições de continuar funcionando." Também Salim Mattar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia