Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 16/01/2020.
Alterada em 16/01 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

'Negar, impedir, interromper, restringir, constranger ou dificultar por motivo de preconceito de raça é crime', diz Nadine

'Negar, impedir, interromper, restringir, constranger ou dificultar por motivo de preconceito de raça é crime', diz Nadine


MARCELO G. RIBEIRO/JC
"Negar, impedir, interromper, restringir, constranger ou dificultar por motivo de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem é crime, não existindo mais espaço para isso nos dias de hoje." Nadine Anflor, chefe de Polícia do Estado.
"Negar, impedir, interromper, restringir, constranger ou dificultar por motivo de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem é crime, não existindo mais espaço para isso nos dias de hoje." Nadine Anflor, chefe de Polícia do Estado.
"As ações de caráter educativo são uma resposta aos consumidores que repetidas vezes se depararam com produtos vencidos nas prateleiras, um risco à saúde." Fernanda Borges, diretora-executiva do Procon.
"Os estímulos dos governos de São Paulo e Rio Grande do Sul, que reduziram o ICMS para calçadistas para 3,5% e 4%, respectivamente, também refletiram positivamente no ânimo dos expositores (da Couromoda)." Jeferson Santos, diretor da Couromoda.
"Grande parte das escolas já começaram a reposição do ano letivo ainda no primeiro calendário que sugerimos, que se iniciou em 21 de dezembro." Faisal Karam, secretário da Educação.
"No que depender de mim, vamos desvincular tudo. Isso não é tirar dinheiro da saúde e da educação. Os recursos estarão lá, e cada governante decidirá suas prioridades. Tutelar esses gastos não resolveu os problemas." Márcio Bittar (MDB-AC), senador e relator da PEC do Pacto Federativo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia