Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 13/11/2019.
Alterada em 13/11 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

Fernando Carrion

Fernando Carrion


MARCO QUINTANA/JC
"As obras do porto de Rondinha devem ser iniciadas em 2021 e ficarão prontas em 2026. Só uma empresa fabricante de pás para torres de energia eólica que lá se instalará vai gerar cerca de mil empregos. Será construída grande área de lazer na frente do terminal. Rodovias atuais terão conexão com o terminal, direta ou indiretamente." Também Fernando Carrion.
"As obras do porto de Rondinha devem ser iniciadas em 2021 e ficarão prontas em 2026. Só uma empresa fabricante de pás para torres de energia eólica que lá se instalará vai gerar cerca de mil empregos. Será construída grande área de lazer na frente do terminal. Rodovias atuais terão conexão com o terminal, direta ou indiretamente." Também Fernando Carrion.
"As estatais do segmento de logística Valec, Infraero e EPL vão ser unificadas e transformadas em uma única até o fim de 2020. Os funcionários serão aproveitados, sem demissões. A gente vê que existe alguma superposição entre as atividades dessas empresas. A gente pode ter essas atividades em uma empresa só, uma área administrativa só, uma possibilidade de ter mais eficiência e menos custo." Tarcísio de Freitas, ministro de Infraestrutura.
"Em 2020, será autorizada a construção de porto em Rondinha, Litoral Norte, onde a apenas 2,731 quilômetros da costa a profundidade do mar é de 20 metros. Cargueiros de grande porte poderão atracar no terminal e levar produtos gaúchos agropecuários e industriais da Serra e do Interior para outros países na metade da distância atual, até Rio Grande, com menor custo." Fernando Carrion, engenheiro, coordenador do programa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia