Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de novembro de 2019.
Dia Mundial do Urbanismo.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 08/11/2019.
Alterada em 08/11 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

Esteves Colnago

Esteves Colnago


JOSE CRUZ / AGENCIA BRASIL / AFP/JC
"A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do pacto federativo poderá representar, só no seu primeiro ano de vigência, a transferência de R$ 12 bilhões para estados e municípios de recursos da exploração do petróleo que hoje são da União. Os recursos só poderão ser usados para novos investimentos, e não para o pagamento de pessoal e custeio da máquina." Esteves Colnago, secretário especial adjunto de Fazenda do Ministério da Economia.
"A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do pacto federativo poderá representar, só no seu primeiro ano de vigência, a transferência de R$ 12 bilhões para estados e municípios de recursos da exploração do petróleo que hoje são da União. Os recursos só poderão ser usados para novos investimentos, e não para o pagamento de pessoal e custeio da máquina." Esteves Colnago, secretário especial adjunto de Fazenda do Ministério da Economia.
"Esperamos a geração de cerca de 4 milhões de vagas de emprego ao longo de três anos com o Trabalho Verde Amarelo, programa que será criado para estimular contratações de jovens e pessoas acima de 55 anos. Reduzirá o custo das empresas nas contratações de jovens de 18 a 29 anos em busca do primeiro emprego e de pessoas acima de 55 anos. Elas poderão ser admitidas com remuneração de até 1,5 salário-mínimo, o equivalente hoje a R$ 1.497,00." Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho.
"Não sei por que não conseguimos consertar o Brasil. É um país muito rico, com gente muito boa, especial, e continuamos pobres. Existe uma pobreza no Brasil incrível, revoltante. Os políticos precisam dar um jeito nisso, o quanto antes. É um absurdo." Tarcísio Meira, 84 anos, 60 de carreira, ator.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia