Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de outubro de 2019.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 25/10/2019.
Alterada em 25/10 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

Octavio de Lazari

Octavio de Lazari


MARIANA CARLESSO/JC
"A reforma da Previdência deve ser o carro abre-alas para as outras reformas que o Brasil necessita. A aprovação da reforma da Previdência tem várias consequências, todas elas positivas. A curto prazo, o aumento da previsibilidade dos cenários da economia brasileira e a percepção de que haverá condições de um ganho de qualidade na gestão da equipe econômica." Octavio de Lazari, presidente do Bradesco.
"A reforma da Previdência deve ser o carro abre-alas para as outras reformas que o Brasil necessita. A aprovação da reforma da Previdência tem várias consequências, todas elas positivas. A curto prazo, o aumento da previsibilidade dos cenários da economia brasileira e a percepção de que haverá condições de um ganho de qualidade na gestão da equipe econômica." Octavio de Lazari, presidente do Bradesco.
"Recebemos com satisfação a aprovação da reforma da Previdência, passo fundamental para que o País equilibre suas contas e, assim, possa criar as condições necessárias para a geração de novos investimentos e, consequentemente, mais empregos e renda." Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco.
"Nossa bancada votou, no Senado, e com unanimidade, contra a reforma da Previdência. Essa reforma vem para destruir os direitos dos trabalhadores." Engenheiro Comassetto (PT), vereador.
"Vitória com 60 votos a favor, então, aquilo que era o nosso objetivo número um para buscar o equilíbrio fiscal, que era a reforma do sistema previdenciário, agora vai nos dar uma previsibilidade pelos próximos 10 anos em relação a esses gastos." Hamilton Mourão, vice-presidente da República.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia