Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de julho de 2019.
Feriado em São Paulo - Revolução Constitucionalista.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Edição impressa de 09/07/2019. Alterada em 09/07 às 03h00min

Frases e personagens

Paulo Skaf

Paulo Skaf


ROVENA ROSA/ABR/JC
"O agronegócio brasileiro -bem mais competitivo que o europeu - deverá ser o setor mais impactado no acordo Mercosul/UE. Não à toa, os europeus impuseram cotas para vários itens, como suco de laranja, café solúvel, carnes e açúcar." Paulo Skaf, presidente da Fiesp.
"O agronegócio brasileiro -bem mais competitivo que o europeu - deverá ser o setor mais impactado no acordo Mercosul/UE. Não à toa, os europeus impuseram cotas para vários itens, como suco de laranja, café solúvel, carnes e açúcar." Paulo Skaf, presidente da Fiesp.
"Não há justificativa para a presença do presidente do Supremo (STF) em um pacto político com outros Poderes. Um pacto pressupõe concessões mútuas em favor de um consenso comum, o que não pode ser feito pela atividade jurisdicional." José Afonso da Silva, 94 anos, professor aposentado da USP.
"O Fundo Amazônia pode ser extinto. O fundo fornece recursos para ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e do uso sustentável da Amazônia Legal. A Noruega é a principal doadora, com 93,8% do total. A Alemanha financiou 5,7% e a Petrobras, 0,5%. O fundo já captou cerca de R$ 4,6 bilhões desde 2008, quando foi criado." Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente.
"Um acordo como esse força uma agenda de competitividade que o Brasil precisa resolver. A situação econômica é momentânea, e esses acordos são de longo prazo. Dão credibilidade ao País." Paulo Skaf, presidente da Fiesp.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia