Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Edição impressa de 04/01/2019. Alterada em 04/01 às 01h00min

Frases e personagens

Sérgio Moro

Sérgio Moro


FABIO RODRIGUES POZZEBOM/ESPECIAL/JC
"Com a aprovação da proposta sobre a prisão após condenação em segunda instância, quero acabar com a insegurança jurídica que resultou na decisão do ministro Marco Aurélio Mello suspendendo a prisão em segunda instância. Foi a possibilidade de prisão após julgamento em órgão colegiado um dos fatores primordiais para o sucesso de operações de combate à corrupção como a Lava Jato." Sérgio Moro, ministro da Justiça.
"O governo de Jair Bolsonaro não pode manter servidores petistas ou de ideologias que não se identificam com o projeto de centro-direita. Nós vamos despetizar o Brasil." Onyx Lorenzoni (DEM), ministro da Casa Civil, exonerando 320 servidores comissionados da sua pasta.
"Pretendo implementar uma política comercial adequada aos dias de hoje, e não presa ao globalismo para agradar outras nações." Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.
"Os acordos comerciais que o Brasil acertou no passado ou que ainda está discutindo partem de um princípio de submissão. Devemos negociar com outros países a partir de uma posição de força. O Itamaraty voltou porque o Brasil voltou." Também Ernesto Araújo.
"Não existe superministro, não existe alguém que vai consertar os problemas do Brasil sozinho, os Três Poderes terão que se envolver. Reforma da Previdência, privatizações e simplificação de impostos serão prioridades." Paulo Guedes, ministro da Economia.
"Desejo o melhor para todos os brasileiros e brasileiras. Que o novo governo ajude o povo a ter trabalho, reconheça a dignidade das pessoas e lhes dê segurança, a Constituição nas mãos e a esperança a motivar o País no rumo da decência e do crescimento." Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ex-presidente da República.
"O agravamento da desigualdade social, o fortalecimento de posições ultraliberais e visões que alijam parte da humanidade de detentora de direitos é que fragilizam os direitos humanos no planeta." César Carbonari, presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia