Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de outubro de 2018.
Dia do Professor.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Edição impressa de 15/10/2018. Alterada em 15/10 às 01h00min

Frases e personagens

Roberto Azevêdo

Roberto Azevêdo


MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
"Em 2018, foi batido o recorde de número de disputas abertas na Organização Mundial do Comércio (OMC), fruto das crescentes tensões comerciais no mundo. Cerca de 30 novas disputas foram iniciadas apenas neste ano. Esse já é o maior número de novos casos em 16 anos - e estamos ainda em outubro. Claramente, o sistema está sob pressão. Mas é justamente ele que pode acalmar os ânimos." Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC.
"Segundo a OMC, uma guerra comercial total significaria um corte de 1,9 ponto percentual no Produto Interno Bruto (PIB) global e uma queda de 17,5% no comércio. É preciso diálogo para resolver as tensões comerciais neste momento." Também Roberto Azevêdo.
"A mensagem passada pelo povo nas urnas é clara. A população quer ética no uso do dinheiro público, emprego e desenvolvimento. Hoje, esquerda e direita é direção." João Carlos Brega, presidente da Whirlpool para América Latina, sobre eleições.
"A condição de extrema pobreza atinge pessoas com renda familiar per capita de até R$ 85,00 por mês, segundo a medição do governo. O Acre foi o estado que mais teve um aumento da pobreza extrema entre 2014 e 2017, de 5,6%. Estados do Sul e Sudeste estão entre os menos prejudicados pela crise, apesar da piora generalizada." Adriano Pitoli, diretor da Tendências Consultoria.
"Na média nacional, a miséria subiu para 4,8% da população em 2017, contra 3,2% em 2014. Nesses quatro anos, ela só não aumentou em dois dos 27 estados brasileiros: Tocantins e Paraíba. Bahia, Sergipe e Piauí foram os estados da região com o maior crescimento da pobreza extrema. No Maranhão, ela chegou a 12% em 2017, o pior resultado do País." Também Adriano Pitoli.
"Sobre as críticas a Nelson Marchezan Júnior (PSDB), lembro que, assim como o prefeito de Porto Alegre parcela o funcionalismo, o prefeito de Esteio, que é do Partido dos Trabalhadores, também o faz." Moisés Barboza (PSDB), vereador de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia