Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Osni Machado

Empresários & Cia

Edição impressa de 07/01/2019. Alterada em 07/01 às 01h00min

UPF desenvolve blends de chás de erva-mate

Pesquisa verifica benefícios e prevê ampliação do consumo da bebida

Pesquisa verifica benefícios e prevê ampliação do consumo da bebida


/RICARDO FORNARI/INOVAMATE/DIVULGAÇÃO/JC
Pesquisa desenvolvida pelo Curso de Farmácia da Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela empresa Inovamate, incubada no Parque Científico e Tecnológico UPF Planalto Médio (UPFParque), busca disseminar os benefícios da erva-mate para a saúde. O chimarrão, como é conhecido, oferece múltiplos benefícios à saúde. Um estudo pesquisou sobre os blends de chás da linha Matequero, relatando os benefícios à saúde humana.
A pesquisa, que leva o título "Valoração nacional da Ilex Paraguariensis por meio de chás associados a comprovação científica" é de autoria da professora doutora Charise Dallazem Bertol, com o suporte da acadêmica Angélica Wagner da Costa. O projeto é feito em parceria com a Inovamate, que está situada em Ilópolis e que se incubou no UPFParque. O objetivo é, principalmente, aumentar o consumo da erva-mate nas diferentes regiões do Brasil, além da Região Sul.
Conforme a professora, a erva-mate possui, em sua composição, saponinas, metilxantinas (cafeína e teobromina), polifenóis, e minerais como potássio, zinco, ferro, níquel e cromo, vitaminas A, C, E, vitaminas do complexo B e alguns aminoácidos. "Apresentando benefícios à saúde, é usada para diversos fins terapêuticos, como dor de cabeça, doenças reumáticas, constipação, hemorroidas, fadiga, obesidade, retenção de líquidos, hipertensão, desordens hepáticas e má digestão", explica Charise.
O costume de consumir a erva-mate é sulista, de acordo com Charise, e a intenção com o projeto é disseminar os benefícios da planta. "A erva-mate, na nossa região, é consumida na forma de chimarrão e nem todas as regiões têm esse costume. Dessa forma, a empresa desenvolveu blends de chás de erva-mate contendo outras plantas que conferem benefícios adicionais aos chás, bem como conferem maior palatabilidade e sabor agradável ao amargor da erva-mate", comenta, considerando que os blends levaram também em consideração as características de consumo das diversas regiões do Brasil.
O desenvolvimento dos chás teve o auxílio de engenheiros de alimentos e engenheiros químicos, profissionais, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação. "Com o nosso grupo da Farmácia, foram realizadas análises da composição fitoquímica, polifenóis totais e atividade antioxidante dos diferentes blends", destaca.
Charise acrescenta que no estudo foi observado que a associação de plantas altera os constituintes químicos normalmente encontrados, bem como seu potencial antioxidante, oferecendo resultados diferentes para cada região apresentada. "A comprovação científica, obtida por meio de parcerias é essencial para consolidar o conhecimento e aumentar o potencial agronômico do RS". enfatiza.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia