Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Edição impressa de 05/02/2019. Alterada em 04/02 às 01h00min

Perdendo a graça?

Mal começou o Gauchão e a gangorra já se inclina em favor do Grêmio. Embora, como faz o Inter, o Tricolor tenha alternado titulares e reservas, descolou-se na liderança e tem gente dizendo que o campeonato perdeu a graça. Calma, é cedo para maiores entusiasmos ou decepções. Neste ano creio que não haverá espaço para surpresas - um da dupla leva o título. E considero a maior injustiça, a esta altura da temporada, começarem a questionar o trabalho de Odair Hellmann. Esse filme eu vi, ano passado. E o final consagrou o técnico colorado.
O grande estadual do Brasil
Sábado assisti na tevê, aqui na Flórida, ao jogo de maior rivalidade em São Paulo. O vergastado Corinthians encarou o Palmeiras e seu milionário elenco, sofreu pressão de 38 mil torcedores no Allianz Park, mas quebrou a invencibilidade que Felipão mantinha desde outubro. O Santos, que era o bicho-papão do Paulista depois de quatro vitórias seguidas, levou 5 a 1 do Ituano, o que arrefeceu o entusiasmo de quem já endeusava o técnico argentino Sampaoli. Ah, para quem não gosta de pontos corridos, a fórmula do Paulistão é bem competitiva - outro dia explico.
Um mundo irreal
O Flamengo esbanja os R$ 330 milhões que fez com a venda de jogadores. Comprou Arrascaeta, Bruno Henrique e Rodrigo Caio, trouxe Gabriel Barbosa, entregou o pacote a Abelão e vai bem na Taça Guanabara. Sábado encara o primeiro clássico, uma semifinal contra o Flu. O Palmeiras tem uns 25 valorizados atletas no elenco, pagou uma fortuna por Ricardo Goulart, com seu patrocinador traz quem quiser... Não é sem razão que denomino de heróis os dirigentes gaúchos, por conseguirem equilibrar disputas nacionais com pouca grana. Os do Interior, então...
O boxe, passado e futuro
O período que passamos sem futebol me proporcionou contato com esportes menos populares. O boxe, por exemplo. Revi Eder Jofre, entrevistado por Galvão Bueno, com direito a trechos de lutas empolgantes do Galo de Ouro. E conheci o capixaba Esquiva Falcão, derrotando um argentino durão e chegando a 22 lutas como profissional, todas com vitória, sendo 15 por nocaute. Dá para sonhar com algum título mundial, sim.
Elefantes da Copa
Ficou uma belezinha o estádio dos Aflitos, remodelado pelo Náutico. Gramado impecável, estrutura para acomodar 20 mil pessoas, tudo financiado por torcedores. Enquanto isso, a Arena Pernambuco, com o dobro de capacidade, aprimora sua condição de elefante branco da Copa: Sport e Santa Cruz já não a utilizavam, agora sem o Náutico... 
Pitacos
  • Discreto, elegante, Renato Marsiglia demitiu-se da Globo depois de 20 anos comentando arbitragens, com equilíbrio e precisão. Enquanto apitou - sem spray -, era dos poucos que colocava a barreira no lugar.
  • Depois das férias, sim: dia 14 Renato tira dez dias de licença e vai finalmente fazer o curso de técnico no Rio. Tem moral para isso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia