Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de dezembro de 2018.
Dia Internacional do Migrante.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Edição impressa de 18/12/2018. Alterada em 17/12 às 21h54min

Hoje tem semifinal

O Al Ain representa o país-sede, seu principal jogador é o brasileiro Caio Lucas. Enfrenta o River hoje, como zebra, em Abu Dhabi. Amanhã, tem Kashima Antlers e Real Madrid, definindo o outro finalista. Meu favorito ao título é o River.
Quem fica e quem sai
Apostei que Kannemann não iria para a Europa - tinha uma boa proposta do Grêmio, daqui chegou à seleção, a esposa está grávida, vivem a hora e meia de voo até Buenos Aires... Com o interesse do Boca, o jogador talvez cogitasse sair. Mas para tirá-lo do Grêmio precisa aparecer uma quantia que nenhum clube argentino tem. Já Ramiro até pode ter feito um upgrade a um clube da dimensão do Corinthians. Mas, ao invés da Libertadores, vai jogar a Sul-Americana...
Quem sai e quem chega
Damião, informamos há tempos que sairia do Inter - saiu. Luiz Adriano parece um sonho impossível, o irrequieto Neílton pode chegar. Fala-se em Romero, um formiguinha combativo, que ataca e defende pelos lados do campo, não marca gols desde 1 de agosto, mas poderia assinar pré-contrato em janeiro. Sua situação no Corinthians é como era a de Ramiro no Grêmio - há uma dívida de US$ 3,5 milhões, a ser quitada com ou sem renovação de contrato, está fácil tirar o paraguaio de lá. O problema é que o Inter, a exemplo do Tricolor, continuaria sem centroavante.
Diferente, marrento, mas...
Renato já desdenhou dos técnicos estudiosos. Agora, se abstém de comparecer às aulas de um curso da CBF, que reúne Tite, Dunga, Mano... A entidade fala em impedimento para exercer a profissão em 2019. Ousará punir o Grêmio, como ocorreu com o River? Duvido que, se tal punição ocorrer, o jurídico do Grêmio não resolva a situação.
Século paulista no Brasileirão
Campeões brasileiros nos últimos 20 anos: Corinthians (1998, 1999, 2005, 2011, 2015 e 2017), São Paulo (2006, 2007 e 2008), Cruzeiro (2003, 2013 e 2014), Santos (2002 e 2004), Palmeiras (2016, 2018), Fluminense (2010 e 2012), Flamengo (2009), Vasco (2000) e Athletico-PR (2001). O Grêmio não ganha desde 1996, o Inter completa 40 anos sem o título. Pior do que eles, somente o Atlético-MG - ganhou em 1971 e nunca mais. Mas a dupla gaúcha mostra inequívoca vocação para mata-matas, vencendo Copa do Brasil, Libertadores e até um Mundial nesse período.
Última coluna do ano
O colunista estará em férias até 29 de janeiro. E faz questão de registrar a inconformidade do leitor Julio Willig, ao ler aqui na coluna que "o River foi campeão na bola". Os argumentos dele também ouvi em festas de confraternização ou, ainda domingo, na beira da piscina do Juvenil. Escreve Willig: "O River é o melhor, mas só ganhou nos bastidores. Teve cinco jogadores mal inscritos, contra o Grêmio fez um gol de mão e nada de VAR, fez outro de pênalti que o VAR marcou, sua torcida aterrorizou Buenos Aires e ficou tudo por isso mesmo!" Registro feito, feliz 2019!
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia