Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de dezembro de 2018.
Dia Mundial da Propaganda.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Edição impressa de 04/12/2018. Alterada em 03/12 às 22h52min

Um Brasileirão gaúcho

Quem poderia imaginar um campeonato melhor para a dupla? Ao início do ano o Grêmio até se posicionava entre os favoritos ao título, condição que viu escapar ao se acumularem jogos - foram 74 ao longo de 2018 -, perdas e eliminações, que pesaram física e psicologicamente no grupo. O Inter, recém-chegado da Série B, modestamente sonhava com uma vaguinha na Libertadores, conformado em perder com honra o título gaúcho para seu maior rival. Pois ambos terminaram o Brasileirão no G-4! Em 2019, os desafios serão maiores - e as chances de títulos também.
Um 2019 melhor ainda
O Inter renovou com Odair Hellmann, nome incontestável entre situação e oposição do clube. Com calma, pode elaborar seu planejamento para a próxima temporada, reforçando-se em várias posições e - vida mais fácil - entrando direto nas fases nobres de Libertadores e Copa do Brasil. A arrancada do Grêmio foi fantástica, garantindo Kannemann, Geromel e, claro, o técnico Renato. Logicamente virá mais forte, esbanjando experiência em todas as competições que disputará. O ano promete!
Você viu o Luan por aí?
Há um ano era tido como o craque do Grêmio - e também da América -, o torcedor se angustiava com a hipótese de perdê-lo para a Europa. Em um 2018 de pouco brilho, Luan viu surgirem estrelas como Everton e Arthur, este já incorporado à constelação do Barcelona. Ficou parado em boa parte do tempo, às voltas com problema crônico que o impediu de jogar. Hoje, se clubes endinheirados vierem bater às portas da Arena, provavelmente estarão em busca de outros nomes. Luan termina o ano devendo futebol - e certamente um pouco mais de maturidade.
A sina colorada em Curitiba
Em 2005, o Inter entregou o título brasileiro ao Corinthians na última rodada, ao perder para o rebaixado Coritiba. Domingo, prestes a quebrar seu recorde de pontos desde que foi adotada a atual fórmula, fracassou mais uma vez: permitiu o empate ao Paraná, no finzinho do jogo. O baque foi bem menor do que há 13 anos, é claro, mas estabelece: a sina colorada na 38ª rodada é não ganhar de times paranaenses já rebaixados.
Pitacos
  • Como previmos semana passada, o Grêmio venceu, o São Paulo perdeu e a quarta vaga direta na Libertadores é gaúcha.
  • Jael fez o gol da vitória domingo. Pois é... Você, leitor, não faria, com a bola quase sobre a linha, depois daquela inestimável ajuda do zagueiro corintiano Henrique?
  • Zeca prometia muito ao Inter, que no duelo de esperteza com o Santos livrou-se de Sasha e ganhou um festejado lateral. Só que o Zeca do Santos não é o mesmo que tem jogado aqui.
  • Flu e Vasco se salvaram na última rodada, retrato do pobre futebol carioca, hoje reduzido ao Flamengo.
  • Foi na bola, como deve ser, mas o rebaixamento do Sport derruba junto o futebol de Pernambuco: Náutico e Santa Cruz mal se sustentam na Série C, não jogam desde agosto. Difícil sobreviver assim...
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia