Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de novembro de 2018.
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Dia Internacional de Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Edição impressa de 27/11/2018. Alterada em 27/11 às 12h39min

Fim de festa

Renato Portaluppi vai para o Flamengo?

Renato Portaluppi vai para o Flamengo?


LUCAS UEBEL /GRÊMIO FBPA/JC
Renato tem boas chances de ir para o Flamengo, duvido que o Grêmio já não cogite algum plano B. O time voltou a jogar pouco, a acusar a grave falta de um bom centroavante e a garantir-se na defesa porque ali estão Kannemann, Geromel e o goleiro Paulo Victor, além de contar com as sempre perigosas pontadas de Everton. O pessoal parece desmotivado, mais ainda agora que terá de se conformar em classificar-se atrás do Inter. Mesmo assim, confio em vaga direta na Libertadores, onde tradicionalmente o Tricolor se sai melhor.
Há 40 anos
Se for campeão ano que vem - e entrará como um dos candidatos -, o Inter terá completado 40 anos sem um título brasileiro. O recorde, entre os grandes clubes, não é colorado: o Atlético-MG ganhou em 1971 o primeiro Brasileirão de verdade. E só, faz 48 anos. Já o Palmeiras festeja o hexa. Mas não foram dez títulos? Invenção da CBF: em 1967, por exemplo, o Verdão venceu o torneio Roberto Gomes Pedrosa e a Taça do Brasil. A imaculada entidade do nosso futebol chegou ao absurdo de agraciá-lo com dois títulos brasileiros - no mesmo ano!
Não vejo como
O Grêmio fora do G-4? Começa que o instável time do São Paulo, capaz de ter a melhor campanha do primeiro turno e uma das piores do segundo, precisaria vencer duas vezes, ontem contra o Sport e domingo, contra a Chape. Ao Grêmio caberia perder para o esquálido, muito jovem e despreparado time do Corinthians, desmontado após os títulos do Paulistão e Brasileiro em 2017, de novo o Paulistão em 2018, na final em cima do poderoso Palmeiras. Mesmo nesse ritmo de fim de festa, o Tricolor deve manter-se na quarta posição.
Nico é outro Nico
Nem Pottker, nem Jonathan, nem mesmo Damião, que mais não jogou do que jogou e deve sair em 2019. Não tem para ninguém: Nico López tornou-se o bom e indispensável atacante que o Inter precisava. Mérito de Odair, que injetou confiança, corrigiu detalhes e transformou o uruguaio em titular absoluto. O poder de fogo ficou demonstrado contra o Fluminense, com ajuda de D'Ale e suas assistências. Penso que eles foram os dois únicos destaques do jogo.
A catástrofe do Ju
Cair para a Série C, com uma campanha ridícula, não bastou para o fraco time do Juventude. Não: precisava de um grand finale, em pleno Alfredo Jaconi. Levar 4 a 0 do CSA e não ter do que reclamar... é dose! Ano que vem, o acesso virou obrigação. Já o Brasil, longe de Pelotas, derrotou o Goiás e encerrou bem sua forte recuperação, iniciada após a chegada de Rogério Zimmermann. Bons presságios para o próximo ano, com ensaio geral no Gauchão.
Pitacos
  • Ceará e Santa Catarina podem ter dois clubes cada na Série A, em 2019. Pernambuco, zero, Paraná, um, Bahia também. O Rio corre o risco de ficar só com três.
  • Haveria quem votasse em Lisca, autor de produtivo trabalho no Ceará. Mas o técnico-revelação deste Brasileiro só pode ser Odair Hellmann.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian Bueno 27/11/2018 10h16min
Colorados, conseguimos sair da Série B e classificarmos para a Libertadores 2019!!! Por Dorian Bueno - Colorados, as nossas cerejas do bolo foram ficar longe do Z4, ter uma classificação em terceiro lugar dentro do G4, e de lambuja conquistamos uma das vagas de grupo da Libertadores 2019. Até aqui foi de doer ver o time sempre jogando um futebol sem encanto, mas sempre lutando dentro deste fácil campeonato da Série A. E num domingo do dia 26/novembro tivemos que dar Tchau ao Beira-Rio. Quem Tchê viu quase lotado em muitos jogos neste ano de 2018, até parece que os jogadores tiveram desempenhos maravilhosos. É estranho este quarteto amoroso entre o clube, torcedores, treinador e jogadores, porque a relação jamais é de plena harmonia para que este amor não precise sofrer tanto, e vibrar no final sem estresse com vitórias convincentes. O futebol nos treinos, a escolha dos jogadores para os jogos, as táticas da prancheta do professor Odair sempre foram tão estranhas, que na maioria das vezes se tornava enigmático, misterioso e bagunçado, que nós não conseguimos entender o que os jogadores estavam fazendo dentro da partida, independente do adversário. Esta torcida Colorada que é muito maior que o time, sempre sonhou, ajudou fora das quatro linhas do gramado, e mesmo não assistindo vestindo a mesma camisa que ela, jogadores com um tremendo padrão Internacional Tchê. Estes rejeitados jogadores, mesmo jogando uma bolinha murcha, também sofreram muito dentro do G4. Primeiramente deixaram de ser campeão por incompetência. Depois focaram no plano B que era tentar levar o clube para a Libertadores, sem precisar fazer a prova do ENEM da América do Sul. Como é que pode um time com estes altos e baixos, ter um imã energético para conseguir atrair o povo vermelho e branco para emanar novas energias dentro do Beira-Rio? Quem sabe pelo fato da torcida Colorada ser tri inteligente, paciente, sensível, e estar carente de grandes títulos, já sabia desde o fim do ano passado e, principalmente, depois da eliminação do Gauchão e Copa do Brasil, que se não fosse em grande massa aos jogos do Brasileirão, o objetivo maior deste ano, não conseguiria ser alcançado. Que torcida é esta que, até o momento, viu o seu terrível time vencer diversos jogos dentro do Beira-Rio, não deslanchar fora de casa, e mesmo assim continuou vibrando, sofrendo reclamando, chorando, devido a falta de um futebol melhor jogado através do time do Internacional? Nesta penúltima rodada conseguimos ver o time vencer mais uma partida da Série A, com dois gols do Nico López contra o jovem time do Fluminense. Ainda bem que vamos ir para última partida contra o Paraná, já garantido dentro do G4 e Libertadores. Pode comemorar torcida Colorada, afinal poderia estar bem pior a situação. Vejam o desespero que devem estar as torcidas da Chapecoense, Sport Recife, América-MG, Vitória, Paraná, vendo os times grudados no Z4. Larga deu segunda divisão. Vamos fechar com chave de ouro este ano, mesmo sem levantar uma Taça de Campeão. Abs. Dorian