Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de setembro de 2018.
Dia do Transportador Rodoviário de Carga.

Jornal do Comércio

14/09/2018 - 10h50min.
Alterada em 17/09 às 16h50min
COMENTAR | CORRIGIR

Maduro busca apoio na China para reforçar economia da Venezuela

Os presidentes da China, Xi Jinping, e da Venezuela, Nicolás Maduro, firmaram oito acordos para novas parcerias entre os dois países

Os presidentes da China, Xi Jinping, e da Venezuela, Nicolás Maduro, firmaram oito acordos para novas parcerias entre os dois países


THIAGO COPETTI/ESPECIAL/JC
Pequim
O apoio que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não encontra em muitos países vizinhos está sendo reforçado nesta semana com novos acordos com a China. Em viagem ao gigante asiático, onde desembarcou na quinta-feira, Maduro firmou acordos de cooperação. Hoje, em Pequim, ministros venezuelanos e Maduro assinaram oito novas parcerias em diferentes áreas.
Um dos protocolos assinados hoje, após Maduro ser recebido com pompa por Xi Jinping no Palácio do Povo, foi para incrementar negócios e investimentos nas áreas de petróleo, gás, telecomunicações e energia. O antigo parceiro chinês mantém relações diplomáticas com o país há quase 45 anos, completos em 2019. Apesar da forte relação, a Venezuela ainda não havia ingressado na iniciativa Um Cinturão, Um Rota. Com as novas parcerias, a contrapartida veio agora, com o país latino se tornando o décimo a fazer parte da nova Rota da Seda.
O governo chinês está investindo pesado para ter mais parceiros latinos na chamada Belt and Road. Até hoje, apenas nove países da região haviam aderido ao projeto, que prevê investimentos conjuntos especialmente em infraestrutura logística. O Brasil também ainda estuda se assinará o acordo ou não.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Margô 17/09/2018 10h37min
Pobre povo. Mão de obra escrava neste comunismo fascista.

Thiago Copetti

A convite do Centro Internacional de Imprensa da China, o repórter está participando de um intercâmbio no gigante asiático. No blog Conexão China, apresentará, além de informações econômicas e políticas da segunda maior economia do mundo, também curiosidades culturais e gastronômicas, dicas de turismo e como é o cotidiano da vida em Pequim.