Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.
Notícia da edição impressa de 22/02/2021.
Alterada em 21/02 às 21h26min

Força na Dinarte I

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Os empresários que tocam as operações da charmosa rua Dinarte Ribeiro estão dispostos a dar nova roupagem à região. Pretendem fazer a sua parte, revitalizando calçadas e deixando as fachadas de acordo com o propósito. Do poder público querem mais iluminação, melhorias no calçamento do leito e recolhimento do lixo com mais frequência.
Os empresários que tocam as operações da charmosa rua Dinarte Ribeiro estão dispostos a dar nova roupagem à região. Pretendem fazer a sua parte, revitalizando calçadas e deixando as fachadas de acordo com o propósito. Do poder público querem mais iluminação, melhorias no calçamento do leito e recolhimento do lixo com mais frequência.

Força na Dinarte II

Para tanto, Marcelo Nygaard (Chocólatras) e Emiliano Jobim (Mesa) já se avistaram com o governo municipal. Agora é tocar o barco. A Dinarte, perpendicular à Padre Chagas, vai substituindo em charme a rua que outrora era a queridinha do bairro Moinhos de Vento e perdeu muitas operações no decorrer dos últimos anos. No frigir dos ovos, as duas se completam.

Cuidados com a cidade

A prefeitura de Porto Alegre vai lançar, nas próximas semanas, uma cartilha com foco em adoções e doações que qualifiquem os espaços públicos da cidade. O material unifica a forma para que empresários e pessoas físicas possam contribuir com o poder púbico para o embelezamento da Capital. Além da unificação, o processo também foi simplificado para possibilitar que mais parceiros se somem à administração pública nesse movimento. Ambos os processos serão centralizados na Secretaria Municipal de Parcerias.

Entupiu

centro de porto alegre

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
A lotação abaixo teve um problema extra na tarde de sexta-feira. Ao trafegar pela Otávio Rocha, ficou trancada por bom tempo esperando que sua excelência, o camelô, tirasse suas tralhas para permitir a passagem. Do outro lado não havia o que fazer, a obra tinha que ser terminada. Aliás, os camelôs e ambulantes que 'não ambulam' estão ocupando quase toda a extensão da calçada sem dar pelota para o pedestre e muito menos para o comércio formal.

Velocidade mínima

Tão veloz em alguns casos, o Supremo consegue imprimir velocidade de tartarugas com artrite em outros. Existem centenas de processos trancados há mais de uma dezena de anos, carentes de solução. É como um carro ficar em ponto morto.

Antes, como depois I

A chiadeira em torno do preço dos combustíveis tem razão de ser mas também é preciso levar em conta fatores externos, o preço do barril de petróleo (157 litros) entre eles. No final de semana passado, ele oscilava em torno de US$ 62, quando há um ano estava em US$ 40. Não só aqui, nos EUA o reajuste também está pressionando a inflação. É o efeito perverso do reaquecimento da economia.

Antes, como depois II

Represar o reajuste é represar o desastre quando a barragem se rompe mais dia menos dia, como aconteceu há alguns anos. De qualquer modo, é uma equação do cão para se resolver. Dois terços do preço da gasolina não dependem da Petrobras, para começar a entender a bronca. Somos um país de cobertor curto, cobre o pescoço mas deixa os pés de fora e vice versa.

Telmo

A morte, aos 88 anos, do compositor Telmo de Lima Freitas, baixa o pano de um dos maiores nomes da música nativista. Revelação das Califórnias da Canção do início dos anos 1970, que escapavam do batido auto-elogio gaudério da maior parte das canções atuais, Telmo fez - na opinião deste colunista - uma obra-prima chamada O Esquilador, na letra e na melodia.

Moral na pensão

A vereadora Fernanda Barth (PRTB) protocolou na Câmara Municipal de Porto Alegre Projeto de Lei Complementar (PLCL 003/21) o qual explicita que a licença de servidores para concorrer a cargos públicos eletivos seja concedida sem remuneração, ao contrário da legislação atual. Muita gente deve até concorrer de mentirinha só para ficar de papo para o ar, remunerado.

Cargo trampolim

Outra legislação que precisa ser mudada é mais polêmica e como tal o espírito de corpo deve impedir que a ideia prospere. É o detentor de cargo eletivo largar o posto no meio do mandato para concorrer a outro, por exemplo, de prefeito a deputado ou de vereador a deputado. O eleitor votou nele para ficar lá e não para servir de trampolim para outras querências.

Vazamentos

Cada lançamento de novos celulares é antecedido por "vazamentos" sobre as novidades. Vazamento de propósito e, às vezes, pago. E há quem caia nessa esparrela.

Miúdas

  • CENTRO Histórico se transformou numa imensa fruteira.
  • ISOLAMENTO obrigatório ou voluntário está destruindo famílias de forma nunca vista.
  • PARA simplificar, o que levaria 10 anos hoje se destrói em 1.
  • ZELADORES dos prédios trabalham dobrado para remover dejetos humanos e caninos nas calçadas.
  • EM prédios com marquise, o trabalho é quadruplicado devido aos moradores de rua.
  • SE vai começar tudo de novo, bueno, faz como o povão: entrega a Deus.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Fernando Albrecht
Fernando Albrecht
Informações exclusivas em notas curtas, objetivas e bem-humoradas. Bastidores da política, observações econômicas, causos do cotidiano e um olhar diferenciado sobre a vida urbana estão na coluna Começo de Conversa.