Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.
Notícia da edição impressa de 07/01/2021.
Alterada em 06/01 às 21h33min

A desmontagem dos sonhos

Rafael Cavalli/Serra Press/JC
A desmontagem das árvores do Sonho de Natal de Canela, na avenida Júlio de Castilhos, exige tanto trabalho quanto a montagem, posto que todo o material deverá ser reaproveitado no final do ano. Levará dias. A desmontagem dos nossos sonhos do Natal e de 2020 terá efeitos por anos.
A desmontagem das árvores do Sonho de Natal de Canela, na avenida Júlio de Castilhos, exige tanto trabalho quanto a montagem, posto que todo o material deverá ser reaproveitado no final do ano. Levará dias. A desmontagem dos nossos sonhos do Natal e de 2020 terá efeitos por anos.

A história do muro I

Agora que se fala em derrubar parte do Muro da Mauá, eis sua história. Tão logo ele foi entregue, anos 1970, travou-se uma furiosa guerra sobre sua real função, a opinião pública imaginava ser desnecessário o muro, porque a enchente de 1941 não se repetiria em Porto Alegre. Só que o fechamento do muro teve que ser acionado mais adiante, complementando o trabalho das casas de bombas. O muro fazia parte de um projeto maior.

A história do muro II

O projeto, feito por técnicos alemães do Banco Mundial, incluía uma elevada de seis pistas sobre a avenida Mauá, ligando a Castelo Branco - construída para esse fim - a uma via expressa até São Leopoldo, como dique de proteção contra as cheias. O muro tinha estaqueamento para suportar a elevada. Depois veio o Trensurb e o sonho acabou. De herança, só a Castelo Branco e o X da Rodoviária.

Pega ladrão!

Os assaltos a pedestres na Rua da Praia são frequentes na altura da Rua Uruguai, sem grande movimento de pedestres, e via de escape para os amigos do alheio. "Pega ladrão" é grito comum.

Indignação de leitor

Leitor manifesta indignação com duas "valas" que foram abertas na rua Eduardo Chartier, proximidades do Zaffari Higienópolis, há alguns meses, provavelmente para alguma obra em tubulações. As mesmas foram tapadas com areia, que as chuvas já levaram, e não tem como desviar. Haja suspensão e haja paciência!

Projetos públicos

O BRDE destinou R$ 4,4 milhões, via incentivos fiscais, para projetos que vão beneficiar públicos de todas as idades com ações de assistência social, educação, cultura, esporte e lazer no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Nos últimos cinco anos, o montante aplicado pelo BRDE na Região Sul por esses mecanismos ultrapassou a marca de R$ 18 milhões.

Deu a louca nos partidos

O apoio ao deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) para a presidência da Câmara dos Deputados pode levar o PT a fechar acordo com Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para comandar o Senado.

Chifre de cavalo

É incrível como tem quem ache chifre em cabeça de cavalo. Quando o presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil estava quebrado e que nem podia mexer no Imposto de Renda, obviamente ele se referia ao buraco fiscal, e não à economia do Brasil.

Alvo preferido

Segundo dados do Fraud & Abuse Report, elaborado pela Arkose Labs, o Brasil figurou entre os cinco países mais afetados por fraudes no mundo no ano de 2020. Somos cerejas do bolo.

Vida dura

A imagem que assessor de ministro leva uma vida boa e folgada não vale para a maioria das pastas. Jornalista que tem um filho no Ministério da Saúde conta que seu rebento trabalha das 9h às 22h, e atende duas dezenas de pessoas por dia. Sobra nada de tempo para se coçar.

Franguinho na panela

No xadrez da proteína animal, as peças se movem rápido. Depois do sacrifício de milhões de suínos devido à peste, a China agora já dispõe de leitões 0 Km, o que pode afetar as exportações brasileiras. Já o frango aparentemente vai bem, obrigado. No caso dos países árabes, a cultura gastronômica ajuda. Nas refeições, cada pessoa ganha um franguinho inteiro.

Miúdas

  • TODAS as vacinas somadas atendem um terço da população mundial.
  • DE novo copo meio cheio ou meio vazio. Só, ou ainda bem que dá para vacinar um terço?
  • ÚNICAS empresas aéreas que vão bem ou menos mal são as Cargo.
  • AOS poucos, vamos entendendo que 2021 pode não ser melhor que 2020.
  • DONALD Trump repete antiga marchinha do Carnaval: Daqui não saio/ Daqui ninguém me tira.
  • ALIÁS, que fiasco nos Estados Unidos.

Colateral

Um dos efeitos colaterais perversos da pandemia foi e ainda é desviar verbas de pesquisas fundamentais da área da saúde para a Covid-19. O dinheiro não se multiplica.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Fernando Albrecht
Fernando Albrecht
Informações exclusivas em notas curtas, objetivas e bem-humoradas. Bastidores da política, observações econômicas, causos do cotidiano e um olhar diferenciado sobre a vida urbana estão na coluna Começo de Conversa.