Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de maio de 2019.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Edição impressa de 15/05/2019. Alterada em 15/05 às 09h48min

O poderoso chefão

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Chegamos ao ponto que chamamos de senhor até lalau mixuruca com pós-graduação nas quebradas do mundaréu. O poder mesmo está na sombras. Na ladroagem, pessoa física aos negócios por baixo dos panos e em diplomas legais. É como o submarino, sabe-se que eles existem, mas submerso ninguém vê. Tudo que funciona - para nosso azar - foi tramado nas sombras. O mundo real é apenas a ponta do iceberg. Eventualmente, uma ficção. Todo poder emana das sombras e por elas será exercido.

Festival de besteiras...

Está em curso uma campanha sinistra para liquidar com o bom humor do brasileiro. São tantas as bobagens que fazem lembrar o Febeapá dos anos 1960. Criado pelo jornalista Sérgio Porto, que assinava Stanislaw Ponte Preto, o Festival de Besteiras Que Assola o País dos anos 1960 é brincadeira de pré-escola perto do Febeapá, o Retorno.

...que assola nosso País

A penúltima besteira vinda de Brasília é dispor dois modelos simultaneamente das novas placas Mercosul. É como fazer um novo remendo no Frankenstein usando um pedaço dele com nova solda. É alguma coisa que botaram na água ou na comida de Brasília, só pode. Pior que é tudo bobagem pensada, não de improviso.

As ondas

Na sexta-feira da semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou en passant em uma entrevista que haveria um tsunami nesta, mas dava para suportar. Pois até agora já são dois. O maior foi incinerar o ministro Sérgio Moro; o segundo, menor, foi a quebra do sigilo bancário do filho Flávio Bolsonaro. Provisoriamente.

Derretimento

Uma coisa é definitivamente certa: se o governo Bolsonaro perder o ministro Paulo Guedes, liquefaz-se mais rapidamente que um cubo de gelo no alto forno do doutor Jorge.

A arte de sair

Agora são os usuários do Whats que foram alvo de um programa espião. Sobrou para IOS e Android. Nada realmente está seguro. Pode ter vírus até em propostas que se dispõem a evitar vírus e programas-espião. A única forma - e olhe lá - de minimizar vigarices é cair fora de todas as redes sociais. A falta de informação será compensada pela ausência de incomodação.

Coisas nossas

Decidida a não fornecer mais dados do ganhador (ou ganhadores) dos R$ 289 milhões da Mega-Sena, a Caixa agora volta atrás e informa que a aposta feita pela internet é de Pernambuco. Em breve, circularão notícias falsas (ou não) sobre a cidade, o bairro, a rua e finalmente do felizardo. São coisas nossas. Nem processo sob sigilo de Justiça é respeitado, assim como minuto de silêncio não passa de 30 segundos antes dos jogos de futebol.

De volta

Airton Vargas Jr. está de volta ao mercado para desenvolver trabalhos de consultoria na área de cerimonial, protocolo e montagem de eventos, além de proferir palestras e cursos. Assessorou quatro governadores do Estado, cinco presidentes da Assembleia Legislativa, quatro presidentes do Tribunal de Justiça, entre outros.

Jornalismo Ambiental

O Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental chega a sua 6ª edição, valorizando reportagens que abordam ações positivas pela preservação do meio ambiente. O prêmio, promovido por Braskem, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes-RS) e Associação Riograndense de Imprensa (ARI) já recebe inscrições.

Culpa do centímetro

Passageiros que tiveram que despachar bagagem de mão criticam o rigor com que são medidas as malas. Alguns reclamaram que foi "só por 1 cm". São os mesmos que criticam que foram multados "só por 1 km/h" a mais. De quilômetro em quilômetro e de centímetro em centímetro as coisas desabam, pegam fogo, se rompem, morremos e matamos. No Brasil, todos querem ser exceção e nunca a regra.

Miúdas

  • PSB teve seu site hackeado com mensagens agressivas. Mas quem nesse mundo não foi hackeado?
  • QUER consertar ou melhorar a sua calçada? Faça, mas há regras. Consulte a prefeitura.
  • DIA de perguntas: onde andará Juan Guaidó, o presidente do B da Venezuela?
  • IMPRESSÃO que se tem é que Nicolás Maduro está ouvindo e aceitando conselhos de marqueteiros internacionais.

Finais

  • BARBARIDADE, TCHÊ, o Banrisul registrou um lucro líquido de R$ 320 milhões no primeiro trimestre de 2019, evolução de 31,1% em relação a 2018.
  • SEM FAMÍLIA ou por ela descartados, 200 homens e mulheres recebem quatro refeições por dia da Associação Emanuel, que pede auxílio. Ligue (51) 3341-2615.
  • A BRIOSA, como era chamada a Brigada Militar, será homenageada amanhã, às 14h, na Assembleia Legislativa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Antonio 15/05/2019 09h37min
Leite avisa do seu belo passeio nos EUA e Europa que vem arrocho salarial pra ranger os dentes.Os servidores escapam do Sartori e caem no leite desnatado. O mesmo não quis aderir o plano que o gringo tinha feito com o Temer,estava tudo pronto.Quis levar os méritos de uma nova adesão.Só que o governo atual cancelou tudo.Aí sobra para os servidores,que já têm todos seus direitos cortados.Porque se metem a governar?
Lucas Henrique 15/05/2019 03h47min
Dos 320 milhões de lucro do Banrisul, 20 milhões fica com a gente facinho.