Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de março de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de março de 2021.
29/03/2021 - 15h29min.
Alterada em 29/03 às 15h29min

Mais de 380 mil toneladas de pneus inservíveis foram coletadas no Brasil

Descarte correto evita danos ao meio ambiente, além de permitir reaproveitamento como insumo

Descarte correto evita danos ao meio ambiente, além de permitir reaproveitamento como insumo


RECICLANIP/DIVULGAÇÃO/JC
De janeiro a dezembro de 2020, a Reciclanip – entidade criada em parceria com as fabricantes de pneus da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) -, coletou e destinou de forma ambientalmente correta 42,2 milhões de unidades de pneus de carros de passeio em todo o Brasil, o que resulta em mais de 380 mil toneladas do resíduo sólido.
De janeiro a dezembro de 2020, a Reciclanip – entidade criada em parceria com as fabricantes de pneus da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) -, coletou e destinou de forma ambientalmente correta 42,2 milhões de unidades de pneus de carros de passeio em todo o Brasil, o que resulta em mais de 380 mil toneladas do resíduo sólido.
Somente no ano passado, as empresas do setor investiram mais de R$ 68,6 milhões no programa de logística reversa de pneus inservíveis, que abrangeu 720 municípios. Os estados que tiveram maior volume coletado (em toneladas) foram São Paulo (81 mil), Minas Gerais (24,9 mil), Paraná (19,6 mil), Amazonas (19,5 mil) e Mato Grosso do Sul (17,2 mil).
“A Reciclanip é a única entidade que coleta pneus inservíveis em todas as regiões do País, o que mostra a dimensão do nosso trabalho e a responsabilidade ambiental do setor. Mesmo durante a pandemia, continuamos a operar de forma segura”, pontua Klaus Curt Müller, presidente executivo do sistema Anip/Reciclanip.
Conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos, os pontos de coleta deveriam ser de responsabilidade dos comerciantes e distribuidores. Mas como isso na prática não ocorre, a Reciclanip estabeleceu parcerias com as prefeituras, as quais cedem terrenos, seguindo normas sanitárias e de segurança, onde os pneus inservíveis vindos de origens diversas são acondicionados.
“É muito importante que o consumidor não leve pneus velhos para casa. Ao comprar um pneu novo, o indicado é deixar o inservível na loja, que tomará as providências necessárias para que o material chegue até um ponto de coleta. Os pneus inservíveis descartados de forma incorreta contribuem para o agravamento das condições ambientais e de saúde nas cidades, e se queimados de forma errada, geram poluição atmosférica”, alerta Müller.
Desde o início do programa, em 1999, já foram destinadas mais de 5,6 milhões de toneladas. E, desde 2010, ano do primeiro relatório de logística reversa de pneus do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Reciclanip vem ultrapassando sua meta de recolhimento em mais de 100%. Mesmo assim, o Brasil registra um passivo ambiental de 332 milhões de quilos de pneus inservíveis, cuja responsabilidade é dos importadores, que não atingem a totalidade de sua meta.
Após a coleta, os pneus inservíveis vão para empresas trituradoras, que os transformam em insumos para as indústrias cimenteira, borracheira, moveleira e siderúrgica, entre outras. Os consumidores podem se informar sobre onde levar os pneus inservíveis consultando a lista com todos os pontos de coleta no site www.reciclanip.com.br.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Vinicius Ferlauto
Vinicius Ferlauto
Acompanhe as informações do setor automotivo: lançamentos de veículos, inovações tecnológicas, investimentos industriais, ações de mercado, energias alternativas e o futuro da mobilidade. Tudo isso e mais em Automotor. Acelere comigo!