Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 23 de julho de 2020.
05/12/2019 - 16h19min.
Alterada em 05/12 às 16h19min

Ford usará palha de café em peças de automóveis

A montadora acertou uma parceria com a rede de fast food McDonald’s, nos Estados Unidos, para aproveitar a palha de café – casca seca do grão que resulta do processo de torrefação – na fabricação de componentes automotivos. O projeto cria a possibilidade de um novo destino a milhares de toneladas de palha de café que sobram a cada ano, normalmente utilizadas como adubo ou carvão.
A montadora acertou uma parceria com a rede de fast food McDonald’s, nos Estados Unidos, para aproveitar a palha de café – casca seca do grão que resulta do processo de torrefação – na fabricação de componentes automotivos. O projeto cria a possibilidade de um novo destino a milhares de toneladas de palha de café que sobram a cada ano, normalmente utilizadas como adubo ou carvão.
A Ford e o McDonald’s descobriram que a palha de café tem propriedades capazes de reforçar certos tipos de peças, produzindo um material durável. Quando aquecido a altas temperaturas, sob baixo nível de oxigênio, e misturado com plástico e outros aditivos, o insumo dá origem a um granulado que pode ser moldado em vários formatos.
Segundo a montadora, os componentes feitos com esse composto são cerca de 20% mais leves e consomem até 25% menos energia durante a moldagem. A sua resistência ao calor também é sensivelmente melhor do que a do material empregado atualmente, favorecendo a aplicação, por exemplo, em carcaças de faróis e peças no compartimento do motor.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Vinicius Ferlauto
Vinicius Ferlauto
Acompanhe as informações do setor automotivo: lançamentos de veículos, inovações tecnológicas, investimentos industriais, ações de mercado, energias alternativas e o futuro da mobilidade. Tudo isso e mais em Automotor. Acelere comigo!