Porto Alegre, quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Serviço Público

Notícia da edição impressa de 17/12/2019. Alterada em 17/12 às 03h00min

Tribunal de Justiça gaúcho regulamenta teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário

O teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário gaúcho foi regulamentado, na semana passada, pelo Ato nº 030/2019-P, do presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro. Composto por quatro capítulos e totalizando 20 artigos, o ato prevê que as atividades dos servidores dos órgãos do Poder Judiciário podem ser executadas fora de suas dependências, de forma remota, sob a denominação de teletrabalho.

O teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário gaúcho foi regulamentado, na semana passada, pelo Ato nº 030/2019-P, do presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro. Composto por quatro capítulos e totalizando 20 artigos, o ato prevê que as atividades dos servidores dos órgãos do Poder Judiciário podem ser executadas fora de suas dependências, de forma remota, sob a denominação de teletrabalho.

Entre os objetivos dessa nova modalidade de prestação de serviço está aumentar a produtividade e a qualidade, economizar tempo e reduzir custo de deslocamento e contribuir para a melhoria de programas ambientais.

O teletrabalho abrange preferencialmente os sistemas de processos eletrônicos. Cabe ao gestor de cada unidade indicar quem atuará em regime de teletrabalho. A atividade é desenvolvida observando plano de trabalho e fixação de metas a serem alcançadas.

O Centro de Formação e Desenvolvimento de Pessoas do Poder Judiciário (CJUD), com acompanhamento da Corregedoria-Geral da Justiça, promoverá a capacitação de gestores e servidores envolvidos no regime.

Uma Comissão de Gestão do Teletrabalho, a ser constituída, analisará os resultados da iniciativa em 1º e 2º graus. O ato está alinhado ao avanço do processo eletrônico e às novas formas de trabalho proporcionadas pelas ferramentas da informática.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear

EXPEDIENTE

Reportagens