Porto Alegre, quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Leitura

Notícia da edição impressa de 05/11/2019. Alterada em 05/11 às 03h00min

Direito Penal

o mito da segurança através do direito penal

o mito da segurança através do direito penal


/REPRODUÇÃO/DIVULGAÇÃO/JC

O mito da segurança através do Direito Penal é o ponto nevrálgico da contribuição que o Direito pode dar na discussão da complexa fenomenologia da violência, e constitui o objeto da presente obra. A autora inicia por uma análise da construção do Estado Moderno e da promessa de segurança, inserindo essa questão na perspectiva da sociologia do risco e do Direito Penal do risco. Neste contexto, nasce e se alimenta o mito da segurança que serve como mola propulsora ao projeto punitivista, evidenciando que o mito (segurança) reforça o rito (punitivo). A interdisciplinaridade é uma das marcas da obra, que frui entre o Direito Penal, Processual Penal e seus estudos de história, antropologia, filosofia, criminologia e psiquiatria.

O mito da segurança através do Direito Penal é o ponto nevrálgico da contribuição que o Direito pode dar na discussão da complexa fenomenologia da violência, e constitui o objeto da presente obra. A autora inicia por uma análise da construção do Estado Moderno e da promessa de segurança, inserindo essa questão na perspectiva da sociologia do risco e do Direito Penal do risco. Neste contexto, nasce e se alimenta o mito da segurança que serve como mola propulsora ao projeto punitivista, evidenciando que o mito (segurança) reforça o rito (punitivo). A interdisciplinaridade é uma das marcas da obra, que frui entre o Direito Penal, Processual Penal e seus estudos de história, antropologia, filosofia, criminologia e psiquiatria.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear
versão para folhear

EXPEDIENTE

Reportagens