Porto Alegre, segunda-feira, 24 de agosto de 2020.
Dia do Artista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 24 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transporte de Cargas

- Publicada em 14h49min, 24/08/2020.

PORTOS RS divulga resultado dos portos gaúchos

Porto de Pelotas registrou incremento de 7,74%  em sua movimentação de toras de madeira

Porto de Pelotas registrou incremento de 7,74% em sua movimentação de toras de madeira


SATOLEP PRESS/DIVULGAÇÃO/JC
Após atualização dos sistemas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a Superintendência dos Portos do RS divulga nesta sexta-feira, 21, o resultado semestral de todos os terminais que compõem o Sistema Hidroportuário do Rio Grande do Sul. Os resultados apresentados mostram que mesmo com a pandemia, os portos e terminais gaúchos estão cumprindo seu papel para com a sociedade e mantendo seu funcionamento, proporcionando a chegada e saída de produtos.
Após atualização dos sistemas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a Superintendência dos Portos do RS divulga nesta sexta-feira, 21, o resultado semestral de todos os terminais que compõem o Sistema Hidroportuário do Rio Grande do Sul. Os resultados apresentados mostram que mesmo com a pandemia, os portos e terminais gaúchos estão cumprindo seu papel para com a sociedade e mantendo seu funcionamento, proporcionando a chegada e saída de produtos.
A movimentação total de todos os terminais do Estado, portos públicos e TUP`s, mostram uma variação positiva de 1,93% no volume de cargas movimentadas no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período de 2019. Somente no Complexo do Porto do Rio Grande foi verificado um incremento percentual bem mais expressivo, de 9,05% no período, uma diferença positiva de mais de 1,58 milhões de toneladas, mesmo durante a pandemia. Nos seis primeiros meses do ano o Estado do Rio Grande do Sul movimentou mais de 26,8 milhões de toneladas de todos os tipos de cargas.
A Portos RS concluiu também nesta sexta, 21, a análise dos dados dos portos sob sua responsabilidade até o dia 31 de julho. Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre movimentaram juntos mais de 24 milhões de toneladas nos sete primeiros meses do ano, um aumento de mais 5%. Os dados dos terminais privados do mês de julho só serão divulgados pela Antaq em setembro.
Analisando somente o complexo do Porto do Rio Grande, verifica-se um incremento de mais de 1,4 milhões de toneladas ante 2019 somente nas exportações, um incremento de mais de 11%. O período de janeiro a julho no Porto do Rio Grande atingiu um recorde histórico de movimentação geral para o período com 23.848.178 toneladas, um valor 6,5% superior ao mesmo período de 2019.
De janeiro a julho de 2020 passaram por Rio Grande mais de 14,8 milhões de toneladas de todas as cargas para exportação. Desse total, 51% foi em embarque de soja em grão. O incremento de movimentação desse produto relativo ao período foi de mais de 22% na comparação com o ano interior. O principal destino das exportações do porto rio-grandino continua sendo a China, com mais de 57% de share.
Já no Porto de Pelotas, entre janeiro e julho, houve um aumento percentual no período de 2%, demonstrando um incremento em sua movimentação de toras de madeira (7,74%). O resultado final do porto pelotense ultrapassa 590 mil toneladas.
Na capital do Estado, o Porto de Porto Alegre foi o único dos portos públicos a registrar decréscimo de movimento em função das restrições de calado do Canal da Feitoria, na Lagoa dos Patos, que passa por uma dragagem. Foram movimentadas 496.099 toneladas, um total de 160.515 t a menos do que o mesmo período do ano anterior.
A Portos RS ressalta que este aumento dos números só foi possível pelo grande empenho de todos os colaboradores dos terminais portuários e de apoio logístico do Estado, que estão exercendo suas funções com esforço e dentro dos protocolos de enfrentamento e prevenção contra a COVID-19.
Comentários CORRIGIR TEXTO