Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de junho de 2020.
Dia do Economista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 30 de junho de 2020.

JC Logística

CORRIGIR

Aviação

Edição impressa de 30/06/2020. Alterada em 30/06 às 03h00min

Demanda por voos domésticos cai 90,97% em maio

No acumulado do ano, transporte aéreo teve redução de 38,79%

No acumulado do ano, transporte aéreo teve redução de 38,79%


/MARCELO G. RIBEIRO/arquivo/JC

A demanda por voos domésticos registrou queda de 90,97% em maio, em relação ao mesmo período do ano passado. A oferta de assentos nos aviões, por sua vez, teve queda de 89,58% na mesma comparação. Esses dois indicadores representam o segundo pior resultado mensal desde 2000, quando teve início a série histórica da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Os desempenhos mais fracos foram registrados em abril, auge do impacto da pandemia do novo coronavírus no setor. Os dados foram compilados pela Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas). Incluem as operações de suas associadas (Gol, Latam, VoePass/MAP) e trazem números agregados das demais empresas nacionais.

A demanda por voos domésticos registrou queda de 90,97% em maio, em relação ao mesmo período do ano passado. A oferta de assentos nos aviões, por sua vez, teve queda de 89,58% na mesma comparação. Esses dois indicadores representam o segundo pior resultado mensal desde 2000, quando teve início a série histórica da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Os desempenhos mais fracos foram registrados em abril, auge do impacto da pandemia do novo coronavírus no setor. Os dados foram compilados pela Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas). Incluem as operações de suas associadas (Gol, Latam, VoePass/MAP) e trazem números agregados das demais empresas nacionais.

A taxa de ocupação das aeronaves recuou 10,92 pontos percentuais, para 70,80%. Ao todo, foram transportados 538,9 mil passageiros, retração de 92,44%.

De janeiro a maio, o transporte aéreo de passageiros acumula redução de 38,79% diante de igual período de 2019, com diminuição de oferta 37,11% na mesma comparação. O aproveitamento dos aviões ficou em 80,09%, recuo de 2,19 pontos percentuais. No total, as companhias aéreas embarcaram 22,8 milhões de pessoas nos cinco primeiros meses do ano, queda de 40,76%.

A demanda por voos internacionais, operados pelas companhias aéreas brasileiras, recuou 96,85% em maio, diante de igual mês do ano passado. A oferta teve queda de 95,68% na comparação anual, com a taxa de ocupação dos aviões de 62,58%, uma redução de 23,37 pontos percentuais. Foram transportados 16,9 mil passageiros, retração de 97,5%.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o transporte aéreo de passageiros ao exterior registra queda de 47,97% em relação ao mesmo período de 2019. A oferta acumula diminuição de 45,01% na mesma comparação, com o aproveitamento dos aviões de 78,62%, recuo de 4,48 pontos percentuais. No total, foram transportadas 2,06 milhões de pessoas, retração de 47,90%.

leia mais notícias de Logística
CORRIGIR
Comentários