Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Navegação

- Publicada em 03h21min, 30/06/2020. Alterada em 03h00min, 30/06/2020.

Cabotagem teve alta de 11,3% no primeiro quadrimestre

Setor transportou 60,8 milhões de toneladas de janeiro a abril

Setor transportou 60,8 milhões de toneladas de janeiro a abril


/ALIAN/DIVULGAÇÃO/JC

Em meio à pandemia da Covid-19, o setor portuário no Brasil acabou registrando um desempenho positivo. A cabotagem (transporte marítimo entre portos dentro do país) cresceu 11,3% entre janeiro e abril ante igual período do ano passado, segundo dados do Ministério da Infraestrutura. No total, o setor transportou 60,8 milhões de toneladas no período. "Mesmo com a crise, tivemos aumento. Mostra que é um setor resiliente", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Em meio à pandemia da Covid-19, o setor portuário no Brasil acabou registrando um desempenho positivo. A cabotagem (transporte marítimo entre portos dentro do país) cresceu 11,3% entre janeiro e abril ante igual período do ano passado, segundo dados do Ministério da Infraestrutura. No total, o setor transportou 60,8 milhões de toneladas no período. "Mesmo com a crise, tivemos aumento. Mostra que é um setor resiliente", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Segundo o ministério, o desempenho está relacionado principalmente ao crescimento no transporte de granéis líquidos e gasosos (10,1%) e a alta de 58,1% no transporte de granéis sólidos no período.

Na movimentação geral, o setor portuário também registrou crescimento, com alta de 3,7% entre janeiro e abril. Em toneladas, o volume transportado foi de 340,4 milhões. Do total, 65,2% das cargas foram operadas pelos portos privados e 34,8% pelos portos públicos. Assim como na cabotagem, a movimentação de granéis líquidos e gasosos contribuiu para o resultado, após alta de 15,1%.

A safra deste ano, que deve ser recorde, é um dos fatores que colaboram para esse cenário, junto do real desvalorizado. "Tinha essa combinação de safra recorde, câmbio e logística funcionando", afirmou Freitas.

Para o ministro, a movimentação para os próximos meses vai continuar com resultados positivos. O ministro pontuou que demais países passam por um processo de reabertura da economia, o que deve aquecer mais a demanda.

Sobre o boom da cabotagem, Freitas lembra que o segmento já vem apresentando crescimentos consecutivos. Segundo ele, o governo percebe um aumento da frota, com encomendas no setor, além do investimento em terminais. "Ano passado também zeramos o imposto de embarcação para cabotagem", lembrou o ministro.

Comentários CORRIGIR TEXTO