Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tecnologia

- Publicada em 03h35min, 04/02/2020. Atualizada em 14h14min, 04/02/2020.

Uso de IA em empresas brasileiras deve dobrar nos próximos quatro anos

Bayer inaugurou centros de inteligência inovadores e melhorou os indicadores de todos os processos

Bayer inaugurou centros de inteligência inovadores e melhorou os indicadores de todos os processos


/ Gerd Altmann via Pixabay/divulgação/jc
A transformação digital possibilitou a nova era de Inteligência Artificial (IA) e automação. No cenário corporativo, o uso de IA já é realidade em 15,3% das grandes e médias empresas no Brasil. A expectativa é que esse número ultrapasse 30% nos próximos quatro anos, segundo levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em parceria com a IDC (International Data Corporation), fornecedora americana de inteligência de mercado.
A transformação digital possibilitou a nova era de Inteligência Artificial (IA) e automação. No cenário corporativo, o uso de IA já é realidade em 15,3% das grandes e médias empresas no Brasil. A expectativa é que esse número ultrapasse 30% nos próximos quatro anos, segundo levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em parceria com a IDC (International Data Corporation), fornecedora americana de inteligência de mercado.
A projeção evidencia que as organizações têm investido em soluções inovadoras para trazer praticidade e agilidade para os negócios, especializando suas equipes para desenvolvimentos analíticos e estratégicos.
Para otimizar o monitoramento de operações end-to-end, ou seja, desde as fábricas e o transporte até a entrega e satisfação do cliente, recentemente, a multinacional Bayer desenvolveu o conceito de Governança Inteligente (Smart) para a área de Product Supply, aproveitando movimentos de inovação digital e Indústria 4.0.
No Brasil, a empresa lançou o chamado Smart Center, modelo de gestão que utiliza tecnologia de ponta para monitorar informações e indicadores estratégicos e operacionais, utilizando uma combinação de tecnologias como IA, Big Data, IoT, robotização e automatização de sistemas e processos.
"O Logistics Smart Center foi nosso primeiro lançamento e possibilitou uma gestão mais eficiente em diversas frentes. No período pré-Smart Center, o nível de entregas no tempo correto (OTD) era de 72%. Atualmente, subimos para 96% por meio da ferramenta de Machine Learning. Essa melhoria impactou a redução de 190 mil quilômetros de distância percorrida com a otimização de roteirização de entregas.
Como resultado, foram evitadas 537 toneladas de emissão de CO2. Além disso, temos 100% de visibilidade on-line da data final de entrega", explica Rogerio W. Andrade, vice-presidente de Product Supply Latam na Bayer.
Hoje, a Bayer Brasil exporta esse modelo de gestão para outras cidades brasileiras e também para outros países, como Argentina e México. Os Centros de Inteligência mais recentes foram inaugurados em abril e outubro de 2019. O Make Smart Center monitora indicadores da área de manufatura da divisão de negócios agrícolas da Bayer.
O Logistic Smart Center (LSC) foi o primeiro Smart Center lançado, em março de 2018, e conta com 10 monitores touchscreen. Foi desenvolvido para centralizar todas as informações logísticas de Product Supply para rápidas tomadas de decisões e análises integradas de cenários. O centro monitora, em tempo real, a rota de todos os caminhões e o status operacional do produto do cliente nos centros de distribuição.
Com estrutura semelhante ao LSC, o Customer Service Smart Center (CSSC) foi lançado em agosto de 2018 com o objetivo de melhorar o atendimento ao cliente, impactando positivamente a experiência dele ao comprar um produto na Bayer. É possível visualizar todo o fluxo do pedido (desde sua entrada ao sistema até seu status de faturamento), e o número de interações realizadas diariamente com os clientes e parceiros comerciais.
Diariamente, equipes multidisciplinares se encontram no Daily Management System (DMS) para avaliar o status de Indicadores relevantes para gestão das ordens e interação com nossos parceiros, a fim de tomar decisões para garantir um melhor nível de atendimento aos agricultores, revendas e parceiros comerciais. No período pré-CSSC, o índice de ligações perdidas (dropped-call rate - DCR) era de 13,44%. Atualmente, a taxa caiu para 1,39%.
Lançado em setembro de 2018, o Supply for All foi inaugurado para ser um modelo de gestão inteligente para as demais áreas de Product Supply e áreas correlatas (compras, manufatura, engenharia, qualidade, projetos, finanças, entre outras), permitindo também acesso remoto para os sites de produção (via internet, aplicativos, tablets). Mais conhecido como Seeds Smart Center, foi inaugurado em Uberlândia em abril de 2019. A partir de uma necessidade observada pelo alto uso do setor de manufatura de sementes pelo centro de Supply for All.
O Make Smart Center está relacionado à área de manufatura da Bayer, subdivida em dois grupos de negócios: Sementes e Crop Protection. Os monitores acompanham as fabricações e os testes de mais de 150 produtos. O mais novo centro de inteligência foi inaugurado no dia 1º de novembro do ano passado, na unidade brasileira de Socorro, em São Paulo. Na América Latina, também há um Make Smart Center na Argentina. A expectativa é que a próxima inauguração seja no México.
A geração de dados na área de produção de sementes acontece há mais de cinco anos, e a quantidade de data points tem crescido exponencialmente devido à instalação de sensores e coletores de dados automaticamente. Atualmente, geramos em torno de 250 milhões de data points nas nossas plantas de produção de sementes todos os dias e em torno de 16 milhões de data points nos campos de produção por ano.

Padrões logísticos podem ser conferidos no Centro de Inovação Tecnológica da Associação Brasileira de Automação

É possível marcar visitas e interagir com as soluções do CIT
É possível marcar visitas e interagir com as soluções do CIT
GS1 BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Um ambiente interativo, no qual tecnologias e soluções inovadoras apresentam perspectivas sobre automação, logística e cadeia de suprimentos, é o que esperam os visitantes no Centro de Inovação e Tecnologia (CIT) da Associação Brasileira de Automação. Criado em 2014, o CIT demonstra como os padrões estão presentes no dia a dia em um tour por vários ambientes, nos quais são simuladas tecnologias para as áreas de indústria, logística, varejo, saúde e RFID (radiofrequência), além do Espaço do Conhecimento, dedicado a apresentar a história dos padrões globais e da atuação da GS1 Brasil.
Entre as novidades implementadas em 2019 está a "Parede da rastreabilidade", que demonstra, de forma interativa, como funcionam os processos de rastreabilidade em diferentes setores, mostrando todo o caminho do produto desde a produção, passando pela indústria, distribuição e varejo até o consumidor final. O processo inverso também é apresentado, como em caso de recall ou devolução de produtos.
Inspirado no Knowledge Center, da Alemanha, o CIT tem auxiliado empresas brasileiras a escolherem as melhores soluções para seus projetos de automação ao demonstrar, na prática, como funcionam equipamentos de automação de processos logísticos, para lojas de varejo e rastreabilidade de medicamentos.
O espaço é constantemente renovado com o apoio de patrocinadores e provedores de soluções tecnológicas, a fim de acompanhar a rápida evolução do mercado.
O CIT está aberto para visitas de empresas associadas, profissionais do mercado, universidades e escolas. A iniciativa foi tão positiva, que a GS1 Brasil abriu um espaço semelhante em seu escritório em Brasília.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO