Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Edição impressa de 29/11/2019. Alterada em 29/11 às 03h00min

Frota da América Latina deverá dobrar em 20 anos

Região da América Latina e do Caribe precisará de 2.,7 mil novas aeronaves

Região da América Latina e do Caribe precisará de 2.,7 mil novas aeronaves


ERIC PIERMONT/AFP/JC
Para atender ao crescimento do tráfego aéreo, a frota em operação na América Latina quase dobrará das 1.460 aeronaves atualmente em operação para 3.000 nas próximas duas décadas - um aumento de 1.540 aeronaves. Do total de 2.700 novas aeronaves previstas para os próximos 20 anos, 1.160 substituirão aeronaves existentes de gerações mais antigas e 300 deverão permanecer em operação.
Para atender ao crescimento do tráfego aéreo, a frota em operação na América Latina quase dobrará das 1.460 aeronaves atualmente em operação para 3.000 nas próximas duas décadas - um aumento de 1.540 aeronaves. Do total de 2.700 novas aeronaves previstas para os próximos 20 anos, 1.160 substituirão aeronaves existentes de gerações mais antigas e 300 deverão permanecer em operação.
De acordo com a mais recente previsão do mercado global da Airbus (GMF), a região da América Latina e do Caribe precisará de 2.700 novas aeronaves de passageiros e cargueiras, das quais 2.400 são da categoria pequenas, como aeronaves de corredor único, e 300 da categoria médias ou grandes ou de fuselagem larga.
Para pilotar essa frota crescente, a Airbus prevê a necessidade de 47.550 novos pilotos e 64.160 técnicos a serem treinados nos próximos 20 anos na América Latina, representando 9% da demanda global por pilotos e 10% da demanda global por técnicos. Essa previsão representa uma receita de US$ 268 bilhões para o mercado de serviços da América Latina.
O tráfego de passageiros na América Latina dobrou desde 2002 e deverá continuar a crescer nas próximas duas décadas - passando de 0,43 viagens per capita em 2018 para quase 0,86 viagens per capita em 2038. As taxas de viagens no Brasil, México e Colômbia lideram esse crescimento do tráfego de passageiros, gerando 71% do tráfego adicional desde 2002. No Chile, no mesmo período, o tráfego deverá crescer de 0,89 para 2,26 viagens per capita.
O aumento da tendência por viagens de avião será impulsionado pelo crescimento da classe média - que saltará de atuais 410 milhões de pessoas para 560 milhões em 2038, ou 74% da população - e pela evolução dos modelos de negócios das companhias aéreas, tornando as viagens aéreas mais econômicas e acessíveis.
O tráfego de origem e destino (O&D) na América Latina deverá aumentar significativamente nos próximos 20 anos, crescendo 4,2% ao ano. O tráfego doméstico e dentro da América Latina e Caribe crescerá a uma taxa ainda mais alta de 4,4% ao ano, impulsionado pelos mercados domésticos, que representarão 62% do tráfego adicional até 2038. Esse crescimento gerará 433 milhões de passageiros adicionais até 2038.
A Airbus já vendeu 1.200 aeronaves, possui uma carteira de pedidos de quase 600, e tem quase 700 em operação na América Latina e no Caribe, representando uma participação de mercado de 59% da frota em uso. Desde 1994, a Airbus garantiu quase 70% dos pedidos líquidos na região.
Enquanto a Airbus prevê a ampliação do mercado latino-americano e caribenho, a Embraer Serviços & Suporte anuncia a expansão do centro de serviços da Embraer no Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood (KFLL), na Flórida, Estados Unidos. Desde 1 de novembro, a Companhia ampliou sua capacidade de serviços por meio de um acordo de locação de um hangar exclusivo com a Jetscape Services.
"Estamos muito animados com a capacidade adicional para melhor atender nossos clientes, quer sejam baseados na região ou apenas de passagem pela Flórida", disse Frank Stevens, Vice-Presidente Global de MRO da Embraer Serviços & Suporte. "Nossa expansão no sul da Flórida nos permite elevar ainda mais a experiência do cliente para proprietários de aeronaves assim como para frotistas, além de criar 40 novos empregos técnicos na comunidade."
A presença da Embraer na Flórida é estratégica para seus clientes da Aviação Executiva no sul dos Estados, no Caribe e na América Central, assim como para os clientes que frequentemente passam pelo sul da Flórida.
O centro de serviço próprio da Embraer no Sul da Flórida também é a base do programa de Gerenciamento de Aeronavegabilidade, em que clientes podem se encontrar com a equipe responsável para conhecer como o programa pode ser customizado para garantir tranquilidade e promover o valor residual de sua aeronave. O programa oferece um gerente de aeronavegabilidade dedicado para planejar, coordenar e monitorar toda a manutenção, bem como os requisitos de aeronavegabilidade ao longo do ciclo de vida do avião.
leia mais notícias de Logística
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia