Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de outubro de 2019.
Dia do Barman e dia Mundial dos Animais.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Edição impressa de 04/10/2019. Alterada em 04/10 às 03h00min

Governo federal estuda aportar R$ 30 bilhões em seis novas usinas nucleares até 2050

Potência instalada na matriz nuclear brasileira pode chegar a 9,3 GW com os empreendimentos

Potência instalada na matriz nuclear brasileira pode chegar a 9,3 GW com os empreendimentos


/ELETRONUCLEAR/DIVULGAÇÃO/JC
O governo federal informou que estuda construir seis usinas nucleares até 2050. A informação foi dada pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros.
O governo federal informou que estuda construir seis usinas nucleares até 2050. A informação foi dada pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros.
A construção das usinas deve ser incluída no Plano Nacional de Energia (PNE), que está em fase final de elaboração.
Em nota, o ministério destaca que o PNE está em fase final de elaboração e informa que o governo estima investir US$ 30 bilhões na construção das seis usinas.
Os novos reatores deverão produzir 6 gigawatts (GW) de energia - 1 GW em cada. Somados com a produção das usinas de Andrade 1 e 2 e também de Angra 3, prevista para ser concluída em 2026, a potência instalada na matriz nuclear poderá chegar a 9,3 GW.
Já as obras na usina nuclear de Angra 3, que estão paradas desde 2015, devem ser retomadas no primeiro semestre do ano que vem, de acordo com a Eletronuclear. Isso seria feito com R$ 2,8 bilhões da controladora Eletrobras. A definição do investimento deve ser concluída até o fim de outubro.
Na prática, os recursos da Eletrobras serão uma antecipação do montante que será necessário para que a empresa seja majoritária na usina. Deve ser criada uma sociedade de propósito específico (SPE), pela qual o investidor, minoritário, seria um dos sócios e concluiria a construção de Angra 3.
leia mais notícias de Logística
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia