Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 16 de março de 2019.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

Edição impressa de 15/03/2019. Alterada em 16/03 às 17h36min

Volvo inicia, em Singapura, testes com primeiros ônibus totalmente autônomos do mundo

Veículos são gerenciados por sistema de Inteligência Artificial

Veículos são gerenciados por sistema de Inteligência Artificial


/Roslan Rahman/AFP
A empresa sueca Volvo iniciou, em Singapura, os testes com os primeiros ônibus totalmente autônomos do mundo. Os veículos, que também são 100% elétricos, estão tendo os testes administrados entre a Volvo Buses, a NTU (Universidade Tecnológica de Nanyang, na sigla em inglês) e a LTA (Autoridade de Transportes Terrestres de Singapura, na sigla em inglês).
Segundo a Volvo, a propulsão elétrica faz com que os veículos tenham uma operação silenciosa e com zero emissões. Além disso, a empresa diz que o modelo requer 80% menos energia do que um ônibus diesel de tamanho equivalente.
Os ônibus têm capacidade para transportar até 85 passageiros e são equipados com sensores e controles de navegação gerenciados por um sistema de inteligência artificial. Um software desenvolvido pela Volvo faz a conexão entre os sensores e os principais controles do veículo. Tudo isso permite que o ônibus funcione de forma autônoma.
Além de sensores de detecção e alcance de luz, os veículos têm câmeras 360 graus e um sistema avançado de navegação global por satélite que utiliza cinemática em tempo real. Ele funciona como qualquer sistema de posicionamento global (GPS), mas usa várias fontes de dados para fornecer uma precisão de localização de até um centímetro.
O sistema é conectado também a uma "unidade de gerenciamento inercial", que mede as taxas de deslocamento lateral e angular do ônibus. Isso é para melhorar a navegação do veículo ao passar por terrenos irregulares. Todo o sistema é protegido com medidas de segurança cibernética que impede invasões. Antes de circularem nas ruas, os ônibus passarão por testes preliminares no campus da universidade e, depois, terão suas rotas estendidas.
leia mais notícias de Logística
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia