Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de março de 2019.
Dia Internacional da Mulher.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Portos

Edição impressa de 08/03/2019. Alterada em 07/03 às 22h44min

Tecon Rio Grande diversifica cargas conteinerizadas

Processo se aplica na importação de fertilizantes e na exportação de grãos e cargas refrigeradas

Processo se aplica na importação de fertilizantes e na exportação de grãos e cargas refrigeradas


MARKETING TECON/DIVULGAÇÃO/JC

Nos últimos dois anos, o Tecon Rio Grande realizou uma série de investimentos em equipamentos, tecnologia e treinamento de equipe, totalizando cerca de R$ 170 milhões. Estes investimentos vieram também para fomentar a conteinerização de novas cargas, uma das formas encontradas para manter os volumes atuais e alçar novos mercados. A conteinerização de cargas tradicionalmente transportadas a granel se aplica no terminal principalmente na importação de fertilizantes, no projeto toras, exportação de grãos e cargas refrigeradas.

O Tecon tem fomentado a importação de fertilizantes via contêineres. A carga pode ser entregue ao cliente em big bags, em caçambas onde o big bag já foi rompido ou mesmo a granel. Além de melhores custos, os importadores de fertilizantes ganham mais independência na compra dos produtos, maior eficiência no fluxo de caixa e garantem estoques menores. Em 2018, 3.240 TEU de fertilizantes foram importados no projeto de conteinerização.

Já a implantação do projeto de estufagem de toras de madeira tem conseguido promover um crescimento significativo na movimentação dessa carga para fora do País. As toras de madeira são medidas e certificadas logo que chegam ao terminal, passando por um tratamento térmico de fumigação e estufagem nos contêineres. Com isso, há uma solução completa na qual se gerencia todo o processo de execução, fornecendo suporte para o exportador. Esse projeto de estufagem de toras garantiu um crescimento recorde de 208% em 2018, com 4.242 TEU exportados via Tecon Rio Grande.

A conteinerização de grãos, outra área explorada pela equipe de novas cargas, garante maior autonomia para exportadores, permitindo o fracionamento das cargas e maior controle da rede de distribuição do produto. Em estruturas de terceiros ocorre a estufagem, com total assessoria do Tecon para os exportadores. No ano de 2018 foram exportados 1.748 TEU de grãos conteinerizados.

O mesmo acontece com as cargas refrigeradas, o mais recente investimento foi de nove novas estantes reefer. O segmento possui grande potencial e apresentou aumento de 16% em 2018, totalizando mais de 56 mil TEU. As principais cargas abrangem frango congelado, carne bovina e suína, sucos e peixes.

O diretor comercial do Tecon Rio Grande, Renê Wlach comenta afirma que o Tecon está devidamente estruturado para aumentar sua diversificação e ampliar os volumes transportados. "O cenário das indústrias e da produção agrícola gaúcha apresenta desafios constantes, por esta razão temos inovado na busca por novos mercados e obtido muito sucesso", afirma.

O Tecon começou o ano de 2019 com novo recorde. No início de janeiro, registrou produtividade média de 41,96 movimentos por hora por STS, (Super Post Panamax Ship to Shore), equipamentos responsáveis pela movimentação de contêineres entre o navio e o pátio, o melhor resultado em 13 meses. A marca foi alcançada em operação com o navio MSC Nerissa, da linha da Costa Leste dos Estados Unidos. Ao todo, foram movimentados 530 contêineres. O último recorde conquistado pelo terminal foi em dezembro de 2017, com o navio Monte Tamaro, quando foram realizados 40 movimentos por hora por STS.

leia mais notícias de Logística
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia