Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Edição impressa de 11/01/2019. Alterada em 11/01 às 01h00min

FAB testa reabastecimento de helicóptero em voo

Ensaio para certificação está sendo feito com o helicóptero HJ-Caracal e com o avião tanque KC-130H

Ensaio para certificação está sendo feito com o helicóptero HJ-Caracal e com o avião tanque KC-130H


/FAB/AFP/JC
A Força Aérea Brasileira (FAB) conclui a primeira fase da campanha de ensaio para certificação do sistema de reabastecimento em voo do helicóptero HJ-Caracal com o avião tanque KC-130H. A operação tornará o País o primeiro da América do Sul capacitado para ações do tipo, diurnas e noturnas.
"Desta forma, serão conduzidas avaliações específicas de ambas as aeronaves para determinar um envelope seguro contendo velocidade, altitude e configurações específicas", diz a FAB, em nota.
No ensaio de voo dessa primeira fase de certificação, realizada no Aeroporto Internacional Tom Jobim, (Galeão), na Zona Norte do Rio de Janeiro, não houve transferência de combustível do avião tanque para o helicóptero, sendo realizados apenas "contatos secos". Provas com as "conexões molhadas" só vão ocorrer na segunda fase do programa ainda neste próximo ano.
"Os ensaios em voo com conexão a seco tem o objetivo de avaliar a capacidade de reabastecimento em voo por meio das avaliações do grau de turbulência, verificação de possível interferência na leitura do sistema anemométrico devido à perturbação do ar e verificação do funcionamento do sistema mecânico em voo", diz a nota.
As provas são coordenadas pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), que participa com duas de suas unidades: o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), organização militar que atua na certificação de sistemas de gestão da qualidade, e o Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (Ipev), que desde 2014 vem atuando nas previsões teóricas e preparo da campanha.
Como parte dos preparativos para certificação, aproximadamente 10 militares que fazem parte da operação fizeram intercâmbio na United States Air Force (Usaf). "Foi uma oportunidade de verificar quais os procedimentos são aplicáveis para nossa aeronave e elevar o nível de segurança dos ensaios", disse o tenente Luís Gustavo Leandro de Paula, engenheiro de ensaio em voo do instituto.
Segundo a FAB, a transferência de combustível em voo possibilita ao helicóptero alcançar os extremos dos 22 milhões de quilômetros quadrados do território brasileiro, "para cumprir as missões de resgate no mar, ajudas humanitárias, infiltrações de tropas e transporte de militares em locais estratégicos".
A FAB informou que após o término da primeira etapa, será realizada a segunda fase da operação, na qual serão feitas as verificações finais de certificação.
Em cumprimento ao contrato do projeto H-XBR, uma equipe de ensaios da empresa Airbus Helicopters virá ao Brasil para apoiar na conclusão do processo de certificação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia