Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de outubro de 2018.
Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa. Feriado nos estados do Amapá, Roraima e Tocantins.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Edição impressa de 05/10/2018. Alterada em 05/10 às 12h00min

Transporte aéreo gera 65,5 milhões de empregos

Relatório discute papel social do setor e impactos

Relatório discute papel social do setor e impactos


FABIO LIMA/AFP/JC
O setor de transporte aéreo global gera 65,5 milhões de empregos e US$ 2,7 trilhões em atividades econômicas globais, de acordo com a nova pesquisa divulgada pelo Air Transport Action Group (Atag). O relatório Aviation: Benefits Beyond Borders (Aviação: Benefícios Além das Fronteiras) discute o papel fundamental da aviação civil para a sociedade atual e os impactos econômicos, sociais e ambientais dessa indústria global.
No lançamento do relatório, na Conferência Global de Aviação Sustentável do Atag, em Genebra, Michael Gill, diretor executivo da entidade, disse ser necessário pensar em como os avanços no transporte aéreo mudaram a forma como as pessoas e empresas se conectam. "O alcance que temos hoje é extraordinário. Mais pessoas de mais partes do mundo estão aproveitando as viagens seguras, rápidas e eficientes."
"São mais de 10 milhões de homens e mulheres trabalhando no setor para garantir a segurança de 120 mil voos e 12 milhões de passageiros por dia. A cadeia de suprimentos em geral, os impactos constantes e os empregos no setor de turismo possibilitados pelo transporte aéreo mostram que, pelo menos, 65,5 milhões de empregos e 3,6% da atividade econômica global têm o apoio da nossa indústria."
O relatório também considera dois cenários futuros para o crescimento do tráfego aéreo e o aumento de empregos relacionados a benefícios econômicos. Com uma abordagem aberta de livre comércio, o crescimento do transporte aéreo ajudará a gerar cerca de 97,8 milhões de empregos e US$ 5,7 trilhões em atividades econômicas em 2036. Porém, se os governos criarem um mundo mais fragmentado, com políticas de isolacionismo e protecionismo, o transporte aéreo deixará de promover mais de 12 milhões de empregos e gerar US$ 1,2 trilhão na atividade econômica.
"Trabalhando juntos, aprendendo sobre as culturas dos outros países e negociando abertamente, criamos uma perspectiva econômica mais forte e mantemos as condições para interações pacíficas no mundo inteiro. A aviação é o principal fator que proporciona essa conectividade positiva."
Ao comentar sobre o lançamento do novo relatório, Angela Gittens, diretora-geral do Conselho Internacional de Aeroportos, disse que os aeroportos são elos fundamentais na cadeia de valor do transporte aéreo, que geram benefícios econômicos e sociais para as comunidades locais, regionais e nacionais onde operam. "Os aeroportos atuam como catalisadores de empregos, inovações e melhorias na conectividade e no comércio globais. Em resposta à crescente demanda por serviços aéreos, os aeroportos - em parceria com a comunidade de aviação - também estão assumindo um papel de liderança na minimização e mitigação dos efeitos ambientais da aviação e na busca do desenvolvimento sustentável."
Jeff Poole, diretor-geral da Organização dos Serviços de Navegação Aérea Civil (Canso), afirmou que o fornecimento de gerenciamento de tráfego aéreo eficiente, seguro e econômico é um fator fundamental para garantir os benefícios da aviação. "A Canso e seus membros estão atingindo esse objetivo utilizando novas tecnologias (por exemplo, vigilância em base espacial, digitalização) e novos procedimentos (por exemplo, gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo). Porém, os estados precisam desempenhar seu papel, garantindo um espaço aéreo harmonizado e investimentos em infraestrutura de gerenciamento de tráfego aéreo."
Alexandre de Juniac, diretor-geral e CEO da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), pontuou que as companhias aéreas trazem benefícios para a vida das pessoas e incentivam a economia global por meio de uma rede mundial que transporta com segurança mais de 4 bilhões de passageiros e 62 milhões de toneladas de carga por ano. "Em tempos de desafios políticos, econômicos e ambientais, nunca foi tão importante como agora colocar em perspectiva a capacidade da aviação de conectar de forma sustentável as culturas e disseminar a prosperidade além das fronteiras."

Tabela

Principais conclusões do relatório

- O transporte aéreo ajuda a gerar 65,5 milhões de empregos e US$ 2,7 trilhões em atividades econômicas globais.
- Mais de 10 milhões de pessoas trabalham diretamente para o setor.
- O transporte aéreo é responsável por 35% do comércio mundial em valor (US$ 6,0 trilhões em 2017), mas esse valor representa menos de 1% em volume (62 milhões de toneladas em 2017).
- As tarifas aéreas hoje são cerca de 90% menores do que a mesma viagem teria custado em 1950, e isso permitiu o acesso de grande parte da população ao transporte aéreo.
- Se a aviação fosse um país, ela teria a 20ª maior economia do mundo, aproximadamente o mesmo tamanho da Suíça ou Argentina.
- Os empregos na aviação são, em média, 4,4 vezes mais produtivos do que outros empregos na economia.

- Números do setor: 1.303 companhias aéreas operam 31.717 aeronaves em 45.091 rotas entre 3.759 aeroportos no espaço aéreo gerenciado por 170 prestadores de serviços de navegação aérea.
- 57% dos turistas do mundo viajam para os seus destinos de avião.

Fonte: Air Transport Action Group
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia