Porto Alegre, quinta-feira, 18 de novembro de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Renda

- Publicada em 18/11/2021 às 16h30min.

No RS, 13º salário deve injetar R$ 15 bilhões na economia do Estado

Segundo o Dieese, 5,6 milhões gaúchos devem receber o 13º salário até dezembro de 2021

Segundo o Dieese, 5,6 milhões gaúchos devem receber o 13º salário até dezembro de 2021


MARCOS SANTOS/USP IMAGENS/DIVULGAÇÃO/JC
Até dezembro de 2021, o pagamento do 13° salário deverá injetar na economia gaúcha cerca de R$ 15 bilhões, valor que representa 6,5% do total do Brasil, 37,8% da região Sul e em torno de 2,7% do PIB estadual. A média de valores recebidos por pessoa no Rio Grande do Sul é estimada em R$ 2.338,05. As estimativas são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Até dezembro de 2021, o pagamento do 13° salário deverá injetar na economia gaúcha cerca de R$ 15 bilhões, valor que representa 6,5% do total do Brasil, 37,8% da região Sul e em torno de 2,7% do PIB estadual. A média de valores recebidos por pessoa no Rio Grande do Sul é estimada em R$ 2.338,05. As estimativas são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Segundo o levantamento, 5,6 milhões gaúchos devem receber o abono natalino. O número equivale a 6,8% do total que terá acesso ao benefício no Brasil. Em relação à região Sul, corresponde a 37,6%. Os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários, representam 55,2%, entre eles, os empregados domésticos com carteira de trabalho assinada (1,4%), enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 44,8%.
Em relação aos valores que cada segmento receberá, observa-se a seguinte distribuição: os empregados formalizados ficam com 63,1% (R$ 9,5 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 24,8% (R$ 3,7 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 9,4% (R$ 1,4 bilhão) e aos do Regime Próprio dos municípios (R$ 402 milhões) 2,7%.
Ao analisar a distribuição do 13° salário por região, a parcela mais expressiva (49,3%) deve ser paga nos estados do Sudeste. No Sul devem ser pagos 17,2% do montante e no Nordeste, 15,4%. Já as regiões Centro-Oeste e Norte devem ficar com, respectivamente, 8,5% e 4,8%. Os beneficiários do Regime Próprio da União receberão 4,7% do montante e podem estar em qualquer região do País.
O maior valor médio para o 13º deve ser pago no Distrito Federal (R$ 4.541) e o menor, no Maranhão e Piauí (R$ 1.691 e R$ 1.729, respectivamente). Essas médias, entretanto, não incluem o pessoal aposentado pelo Regime Próprio dos estados e dos municípios.
Ainda a título de 13° salário, a economia brasileira deverá receber cerca de R$ 232,6 bilhões. Este montante representa aproximadamente 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do País. Cerca de 83 milhões de brasileiros serão beneficiados com rendimento adicional, em média, de R$ 2.539,00.
Deste total de beneficiados, 51 milhões (61%) são trabalhadores no mercado formal, entre eles, os empregados domésticos com carteira de trabalho assinada, que somam 1,3 milhão. Os aposentados ou pensionistas da Previdência Social (INSS) correspondem a 32,3 milhões, ou 38,7% do total. Além desses, aproximadamente 1 milhão de pessoas (ou 1,3% do total) são aposentadas e beneficiárias de pensão da União (Regime Próprio). Há ainda um grupo constituído por aposentados e pensionistas dos estados e municípios (regimes próprios) que vai receber o 13º e que não pode ser quantificado.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO