Porto Alegre, sexta-feira, 27 de novembro de 2020.
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Dia Internacional de Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 27 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Contas públicas

- Publicada em 12h17min, 27/11/2020. Atualizada em 12h28min, 27/11/2020.

Canoas foi a única cidade da região Sul com queda na arrecadação de ISS em 2019

Município da Região Metropolitana de Porto Alegre registrou queda de 4,1% na arrecadação em 2019

Município da Região Metropolitana de Porto Alegre registrou queda de 4,1% na arrecadação em 2019


VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/JC
Das 16 cidades da região Sul analisadas pelo anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, apenas uma apresentou desaceleração na sua arrecadação do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) em 2019, quando comparado com o ano anterior. Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, registrou queda de 4,1% na arrecadação em relação a 2018, conforme a pesquisa divulgada nesta sexta-feira (27) pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).
Das 16 cidades da região Sul analisadas pelo anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, apenas uma apresentou desaceleração na sua arrecadação do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) em 2019, quando comparado com o ano anterior. Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, registrou queda de 4,1% na arrecadação em relação a 2018, conforme a pesquisa divulgada nesta sexta-feira (27) pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).
O município recolheu R$ 92,6 milhões de ISS em 2019. Em 2018, esse valor chegou a R$ 96,6 milhões e havia apresentado alta de 15,7% do tributo em relação ao ano anterior.
O maior incremento na arrecadação do tributo foi registrado em Maringá, no Paraná, de 21%. Com isso, o montante foi de R$ 181,4 milhões em 2018 para R$ 219,4 milhões em 2019. No período anterior, ou seja, entre 2018 e 2017, o ISS de Maringá havia sofrido queda de 4,2%.
O segundo maior aumento foi o de Caxias do Sul, na Serra gaúcha, que recolheu R$ 196 milhões no ano passado. Houve acréscimo de 17,9% em relação aos R$ 166,2 milhões de 2018.
Veja o ranking:
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/27/206x137/1_regiao_sul_-9199012.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fc117eb16a06', 'cd_midia':9199012, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/27/regiao_sul_-9199012.jpg', 'ds_midia': 'Receita de ISS das cidades selecionadas no Sul pelo anuário Multi Cidades - Finanças dos Municípios do Brasil', 'ds_midia_credi': 'Multi Cidades/FNP/Divulgação/JC', 'ds_midia_titlo': 'Receita de ISS das cidades selecionadas no Sul pelo anuário Multi Cidades - Finanças dos Municípios do Brasil', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '430', 'align': 'Left'}
O segundo maior aumento foi o de Caxias do Sul (RS) que recolheu R$ 196 milhões no ano passado
O crescimento de Londrina, também no Paraná, veio em terceiro no ranking. O incremento foi de 17,6%, passando de R$ 216,2 milhões para R$ 254,2 milhões no período.
Blumenau, em Santa Catarina, também registrou aumento de dois dígitos no período, sendo a variação de 10,8% e recolhimento total de ISS de R$ 167,6 milhões, assim como Ponta Grossa, no Paraná, que teve variação positiva de 10,2% e uma arrecadação total de R$ 101,3 milhões do tributo. No estudo anterior, Ponta Grossa e Londrina apresentaram quedas de 45,8% e 2,3% em 2018, respectivamente.
Entre as capitais, o maior crescimento foi de Curitiba (PR), que arrecadou R$ 1,35 bilhão em 2019, um incremento de 7,5% aos R$ 1,25 bilhão de ISS recolhidos em 2018. Já o crescimento de Florianópolis (SC) foi de 3,6% e a arrecadação de R$ 343,6 milhões.
Porto Alegre registrou uma variação positiva de 3% e recolhimento de R$ 1,06 bilhão em 2019. A capital gaúcha se manteve entre as 10 maiores receitas de ISS do País em 2019, nas oitava posição.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/27/206x137/1_capitais-9199018.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fc1183f1a0f3', 'cd_midia':9199018, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/27/capitais-9199018.jpg', 'ds_midia': 'Porto Alegre está em oitavo no ranking das 10 maiores receitas de ISS do País em 2019   ', 'ds_midia_credi': 'Multi Cidades/FNP/Divulgação/JC', 'ds_midia_titlo': 'Porto Alegre está em oitavo no ranking das 10 maiores receitas de ISS do País em 2019   ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '409', 'align': 'Left'}
Porto Alegre ficou em oitavo no ranking das 10 maiores receitas de ISS do País em 2019 Imagem: Anuário Multi Cidades/FNP/Reprodução/JC
O levantamento realizado pelo anuário revelou que, entre as regiões brasileiras, a Sul é a segunda em que a arrecadação do ISS tem um peso mais significativo nas receitas correntes dos municípios, de 8,2% ficando atrás apenas do Sudeste (14,8%) e sendo seguida do Centro-Oeste (7,5%) do Brasil.
Comentários CORRIGIR TEXTO