Porto Alegre, quarta-feira, 04 de novembro de 2020.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 04 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campanha

- Publicada em 03h00min, 04/11/2020.

'Cachorro quente tributário' distribui mais de dois mil lanches para crianças

Iniciativa busca conciliar informação sobre carga tributária brasileira e ações beneficentes

Iniciativa busca conciliar informação sobre carga tributária brasileira e ações beneficentes


SESCON-RS/DIVULGAÇÃO/JC
Ao longo do mês de outubro, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Sescon-RS) distribuiu mais de 2.260 lanches dentro da campanha "Cachorro quente tributário". A iniciativa busca conciliar dois objetivos: mostrar à população a composição da carga tributária, bem como realizar ações beneficentes para crianças. O material, que está sendo divulgado pela entidade, alerta sobre quanto dos tributos pagos são arrecadados pela União, estados e municípios.
Ao longo do mês de outubro, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Sescon-RS) distribuiu mais de 2.260 lanches dentro da campanha "Cachorro quente tributário". A iniciativa busca conciliar dois objetivos: mostrar à população a composição da carga tributária, bem como realizar ações beneficentes para crianças. O material, que está sendo divulgado pela entidade, alerta sobre quanto dos tributos pagos são arrecadados pela União, estados e municípios.
As doações já foram entregues na Vila Cruzeiro do Sul, em Porto Alegre; para as Vilas Canarinho e Chico Mendes, em Cachoerinha; na Travessa Steigleder, em Montenegro; além de uma creche da Capital apoiada pelo Sescon-RS.
A campanha quer mostrar que, embora a carga tributária seja alta no País, as pessoas podem direcionar seus impostos para causas e serviços nos quais acredita, destinando parte do Imposto de Renda como auxílio ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente (FIA). "A cada R$ 100 produzidos, 1/3 é imposto pago pelo consumidor", diz o presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO