Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Edição impressa de 22/11/2019. Alterada em 22/11 às 03h00min

Código de produtos orienta o consumidor na Black Friday

Oliveira destaca que informações dos produtos são essenciais para a decisão de compra

Oliveira destaca que informações dos produtos são essenciais para a decisão de compra


PAULO PEPE/DIVULGAÇÃO/JC
A numeração do código de barras impresso na embalagem dos produtos, que o consumidor conhece bem, é a principal orientação para que se tenha certeza da procedência e originalidade de cada item que se busca nos market places. Nesse período de consumo da Black Friday, é importante que o consumidor tenha certeza de que o item que procura tem as mesmas características em todos os sites de busca.
A numeração do código de barras impresso na embalagem dos produtos, que o consumidor conhece bem, é a principal orientação para que se tenha certeza da procedência e originalidade de cada item que se busca nos market places. Nesse período de consumo da Black Friday, é importante que o consumidor tenha certeza de que o item que procura tem as mesmas características em todos os sites de busca.
A partir da numeração do código de barras fornecido pelos fabricantes dos produtos, a legitimidade é garantida. Detalhes como modelo, cor, tamanho, número são únicos a cada código dos produtos. Por isso, na comparação de itens em vários market places fica mais segura quando o consumidor consulta nos websites de fabricantes ou nas embalagens o código.
Além das características dos produtos, a comparação de preços e a veracidade dos descontos também podem ser verificadas por meio da numeração do código de barras de padrão GS1 - o mais usado no mundo todo.
Segundo a pesquisa Consumidores, realizada em setembro pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, 62% dos consumidores já utilizam o código de barras para ter certeza de que está visualizando o mesmo produto tanto na loja física quanto na online. A pesquisa tem o objetivo de mapear os hábitos de compras dos consumidores em todo o país. Após 1.255 entrevistas com pessoas acima de 18 anos de idade, a amostragem conclui que 75% delas preferem os websites de comparação de preços; 46% buscam seus produtos desejados nos market places e sites das lojas; e 31% buscam os sites dos fabricantes.
Para João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, gestora do código de barras, "as informações dos produtos são essenciais para a decisão de compra; 93% dos consumidores acreditam que as informações dos produtos devem ser idênticas tanto na loja física quanto na on-line".
 

Inteligência logística ajuda a aproveitar melhor a data

Vendas virtuais exigem atenção ao planejamento de estoques

Vendas virtuais exigem atenção ao planejamento de estoques


STOCKPHOTO/STOCKPHOTO/DIVULGAÇÃO/JC

Já não é novidade para ninguém que saber aproveitar a Black Friday é um ótimo negócio para varejistas e e-commerces. Neste ano, os consumidores brasileiros pretendem gastar até R$ 3 mil na data, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de cashback Méliuz. Apesar de ser um dos momentos mais esperados no calendário comercial, a tradicional sexta-feira de descontos precisa ser olhada com atenção.

"Começamos, há meses, a traçar preços, metas de cada categoria, canais de venda prioritários, planejamento de estoque, ações promocionais, plano de marketing e todas as estratégias comerciais", explica Paula Gusmão, CEO da eÓtica, maior e-commerce de óculos do Brasil. "Já realizamos ajustes em processos e na infraestrutura dos sites, desenhamos o cronograma de atendimentos e contratamos pessoal para trabalhar na Black Friday", pontua.

Para a CEO, é importante olhar para o passado e entender o que funcionou bem e no que erraram para extrair insights positivos para a data. "É fundamental reunir pessoas de todos os times para pensar nos cenários possíveis e se preparar para eventualidades. O zelo deve ser o mesmo tanto na escolha dos canais de marketing, no investimento em estoque e no suporte para áreas como TI, logística e atendimento", indica.

A segurança do site é outro aspecto primordial para o melhor aproveitamento da Black Friday. "No Brasil, há uma tentativa de fraude a cada quatro segundos", esclarece Patrick Negri, CEO da iugu. Para ele, alguns pontos devem ser priorizados neste momento. "Tome cuidado no cadastro de clientes aplicando uma triangulação de dados para evitar ações criminosas com informações de terceiros", ressalta.

"Entenda o comportamento do consumidor rastreando seus desejos e intenções para ficar alerta caso ele não faça tanta busca ou pause o processo antes da finalização; cuide da infraestrutura completa do seu e-commerce para minimizar as tentativas de fraudes", elenca.

leia mais notícias de Contabilidade
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia