Porto Alegre, sábado, 01 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 01 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

- Publicada em 01h07min, 20/02/2019.

Contador deve usar tecnologia para humanizar os serviços

Elinton Marçal não acredita que o trabalho do contador será substituído pela tecnologia

Elinton Marçal não acredita que o trabalho do contador será substituído pela tecnologia


SCI SISTEMAS CONTÁBEIS/DIVULGAÇÃO/JC
Elinton Marçal
Os robôs estão virando protagonistas nos afazeres do dia a dia. A tecnologia tem evoluído exponencialmente e substituído o homem em várias ocasiões. No entanto, algumas pessoas andam dizendo por aí que uma das profissões que será extinta devido à evolução dos recursos tecnológicos é a de contador. O que não é verdade.
Os robôs estão virando protagonistas nos afazeres do dia a dia. A tecnologia tem evoluído exponencialmente e substituído o homem em várias ocasiões. No entanto, algumas pessoas andam dizendo por aí que uma das profissões que será extinta devido à evolução dos recursos tecnológicos é a de contador. O que não é verdade.
Alguns anos atrás, com a popularização dos computadores, também houve muito burburinho dizendo que o contador, conhecido como guarda-livro, perderia espaço. Isso não aconteceu e não vai acontecer na era da Inteligência Artificial. Essa profissão é uma das mais estratégicas dentro das empresas.
O que houve foi uma mudança nas atribuições que um contador deve apresentar para ser um profissional de excelência. O que se ensinava nos cursos de bacharéis de contabilidade já não serve mais para quem pretende trabalhar com contabilidade. A tecnologia está sim avançada e precisamos de profissionais focados, que sejam mais estratégicos e menos operacionais.
A mudança já começou quando surgiram os ERPs, sistemas para gestão integrados, há muito tempo. No entanto, somente agora está se falando das mudanças da profissão e ainda com um quê de alarde. Cada vez mais as empresas vão precisar de um bom contador, alguém que lhe auxilie nos meandros da lei, principalmente com a legislação tributária, uma das mais complexas do mundo.
No entanto, o que percebo é que as universidades, tanto as particulares quanto as públicas, não estão preparadas para essa nova exigência de mercado. As instituições deveriam ser as primeiras a mudar a grade curricular e investir mais em recursos tecnológicos. Dessa forma, esses futuros contadores estariam preparados para o mercado de trabalho. Atualmente, somos obrigados a treinar todos os candidatos que pretendem trabalhar em nossa empresa. Eles saem da faculdade com uma visão de mercado e, quando entram em uma empresa moderna, se assustam. Porque não foram preparados para isso.
Faz-se urgente, que as instituições assumam o seu papel em preparar melhor esse profissional. Visto que, ao contrário do que preconizam, o profissional de contabilidade se tornou muito mais relevante no ambiente corporativo, deixando de ser apenas alguém que registrava atos e eventos nos livros contábeis, para assumir um papel fundamental na tomada de decisões empresariais e assim gerando riqueza aos negócios.
Concordo quando dizem que um profissional do século XX não sobreviveria no século XXI. Tudo mudou e com isso as profissões também tiveram que passar por reformulações. Não acredito que a profissão de contabilista tenha data de validade. Porém, acredito que estarão aptos para serem contratados aqueles que estiverem preparados para atuar em conjunto com as novas tecnologias à disposição, e que são muitas. Não esquecendo que os recursos estão mudando todos os dias e precisamos estar preparados para os avanços tecnológicos.
Sendo assim, não resta dúvida de que as novas tecnologias estão transformando todas as profissões, mas de forma positiva, tornando os profissionais mais eficazes. Em breve não teremos mais trabalho repetitivo e, consequentemente, sobrará mais tempo para a estratégia, valorizando cada vez mais o capital intelectual de quem trabalha com contabilidade.
A Inteligência Artificial assusta, mas é necessário pensar no tempo livre que teremos para nos humanizarmos, oferecendo, além das tecnologias que automatizam e diminuem os custos, os grandes diferenciais que os empreendedores precisam como, por exemplo, visitas periódicas de consultoria financeira, treinamento de equipes, implantação de ferramentas de TI nos clientes para integrações online e muitas outras oportunidades que surgirão.
Tudo isso está apenas começando, e os profissionais contábeis que abrirem sua mente para se unirem a tecnologia sairão na frente dos demais. Nada, nenhum robô, substitui o olho no olho, causa empatia, garante segurança ou apresenta novas iniciativas ao cliente. Esse trabalho é do profissional que está antenado e sabe usar a tecnologia a seu favor.
Diretor de tecnologia e marketing da SCI Sistemas Contábeis
Comentários CORRIGIR TEXTO