Porto Alegre, segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Dia dos Fabricantes de Materiais de Construção.
Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 20h33min, 04/04/2021.

Misturaí quer mais distribuir quentinhas

Mana celebra as 130 mil quentinhas entregues

Mana celebra as 130 mil quentinhas entregues


ONG Misturaí/Divulgação/JC
Vinicius Appel
Fundada em 2019, a ONG Misturaí já desenvolveu ações em áreas como cultura, empreendedorismo e meio ambiente, mas viu com a chegada da pandemia, em março de 2020, uma nova oportunidade de ajudar quem precisava.
Fundada em 2019, a ONG Misturaí já desenvolveu ações em áreas como cultura, empreendedorismo e meio ambiente, mas viu com a chegada da pandemia, em março de 2020, uma nova oportunidade de ajudar quem precisava.
Entendendo que as pessoas em situação de rua estavam desamparadas naquele momento, a instituição deixou de lado a ideia de fechar as portas até que a pandemia fosse controlada e decidiu distribuir alimentos para esta parcela da população. Surgia então o Projeto Amparaí, que em março deste ano alcançou o número de 130 mil quentinhas distribuídas.
De acordo com a vice-presidente da ONG, Adriana Linhares Queiroz, também conhecida como Mana, há um ano, com o início das doações, começaram a chegar muitos voluntários dispostos a ajudar nas entregas das refeições. Hoje, são cerca de 200 pessoas fazendo parte do voluntariado.
Mana, agradece por ter forças para ajudar outras pessoas. Segundo ela, ter entregue 130 mil quentinhas é gratificante, também por saber que esta marca é resultado de um time de voluntários do bem. "Seres humanos bons que se comovem com a situação de outros", destaca.
Até a terceira semana de Amparaí, as refeições eram destinadas exclusivamente para moradores de rua, mas, após algumas idas ao Centro Histórico para fazer entregas, a ONG percebeu que haviam mais pessoas levando alimento aos sem-teto daquela região. Foi então que o projeto começou a ir para as comunidades levando marmitas e criando vínculos com outras regiões.
Desse vínculo surgiu uma medida que serviria para expandir o projeto social. Com ajuda da Misturaí, cozinhas foram implantadas em comunidades da Ilha do Pavão, Quilombo dos Machado e Beco do Guará, além da Vila Planetário, onde fica a sede da ONG. A instituição envia insumos, alimentos, proteínas e marmitas, possibilitando que as quentinhas sejam preparadas nestas comunidades.
Além das quatro cozinhas, o projeto também conta com cem voluntários que cozinham, em suas casas, de duas a três vezes por semana. Estes estão divididos em dois grupos, aqueles que compram os produtos, fazem as refeições e encaminham para que a ONG distribua, e aqueles que recebem os alimentos da Misturaí para fazer o preparo.
Com distribuição de almoço aos sábados e café da manhã e da tarde durante os demais dias, o Amparaí realiza a entrega de 220 marmitas por dia, todos os dias, incluindo feriados. No último 20 de março, em comemoração ao aniversário de um ano do projeto, este número foi ampliado e 500 almoços foram distribuídos para moradores de rua.
As quentinhas também são entregues para outras pessoas que sofrem dificuldades financeiras, muitas em razão do desemprego. Mulheres chefes de família, pessoas com aluguel social estão entre as beneficiadas pelo projeto. "As pessoas não têm comida",lamenta Mana.
Além das refeições, o projeto tem realizado a doação de outros materiais como cobertores, produtos de higiene pessoal, roupa e calçado. De acordo com a vice-presidente da Misturaí, a ONG monta um kit com os produtos e realiza a distribuição diariamente.
Após um ano de muita ajuda aos necessitados, Mana afirma que o projeto mudou sua vida e também a de mulheres da Vila Planetário, que começaram a trabalhar com a ONG no início da pandemia. "A gente vê que a gente pode fazer para o outro também, é só querer, não ficar em casa achando que está tudo perdido" comenta.
Atualmente a ONG está realizando um cadastro de moradores de rua, que já conta com duzentos nomes. Com isso foi possível perceber um aumento no número de moradores de rua e, por consequência, o crescimento da necessidade de pessoas dispostas a ajudar.
A vice-presidente da Misturaí destaca a satisfação em saber que pode contribuir com quem precisa e conclui afirmando que o amparo só acontece porque tem gente que acredita que dá para fazer um mundo melhor. "Com cada um doando um pouquinho, é possível ajudar muitas pessoas", finaliza.

Saiba como ajudar

  • A ONG recebe doações de alimentos não perecíveis, como arroz, feijão, massa, azeite e molho de tomate, e perecíveis como proteínas. A entrega pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h, na sede da Misturaí, localizada na rua Luiz Manoel, 229, térreo, na Vila Planetário, bairro Santana. Devido à pandemia, a Misturaí lembra que as entregas devem ser feitas com todos os cuidados de distanciamento e higiene, incluindo uso de máscara e álcool em gel. 
  • Interessados em apoiar a ONG de forma recorrente podem colaborar pelo site: apoia.se/misturai
  • Para doações pontuais, a chave PIX é [email protected]
  • Também é possível doar por meio de transferência bancária para: Sicredi (banco 748) - Agência 0116 / Conta corrente: 35074-4 / Instituto Misturaí - CNPJ: 09.154.647/0001-42
 
Comentários CORRIGIR TEXTO